header top bar

section content

Alunos aderem ao levante nacional e ocupam o prédio do IFPB de Cajazeiras – ASSISTA!

Reivindicações são as mesmas que nutrem o levante estudantil nacional: a não aprovação da PEC 55 e a extinção da reforma do ensino médio

Por Jocivan Pinheiro

10/11/2016 às 14h59 • atualizado em 10/11/2016 às 15h05

Estudantes do ensino superior e ensino secundário estão desde segunda-feira (07) ocupando o prédio do IFPB de Cajazeiras em adesão às mobilizações estudantis que estão acontecendo em todo o país contra o governo do presidente Michel Temer (PMDB).

Os estudantes Hirley Pinheiro e Maicon Douglas

Os estudantes Hirley Pinheiro e Maicon Douglas

As principais reivindicações são as mesmas que nutrem o levante estudantil nacional: a não aprovação da PEC 55, que congela os investimentos públicos do Governo Federal por 20 anos, e a extinção da proposta de reforma do ensino médio. Os dois projetos são considerados planos estratégicos de atraso social e intelectual pelos manifestantes.

VEJA TAMBÉM: UFCG de Cajazeiras aprova indicativo de greve e alunos ‘caminham’ para ocupação

O estudante de Engenharia Civil Hirley Pinheiro avalia que as consequências da PEC 55 vão além do fator econômico e atingem também outros ‘recortes’ sociais cujos grupos obtiveram importantes conquistas nos últimos anos, a exemplo dos negros, das mulheres e da comunidade LGBT.

“Embora vejamos a PEC como um texto, mas há os recortes na influência diante da sociedade. Recortes de classe. Quem é que está se privilegiando com essa PEC? Quem sofre mais com os abusos? Além disso, temos os recortes de diversidade e identidade de gênero, o recorte das mulheres, dos negros, para formar uma conjuntura”, comenta o estudante.

Faixa anunciando a ocupação no IFPB-CZ

Faixa anunciando a ocupação no IFPB-CZ

Sobre as críticas que o movimento vêm recebendo, Hirley esclarece que, assim como acontece nas demais ocupações em todo o país, esta no IFPB é pacífica, organizada e procura manter os estudantes em contato com atividades sociais e intelectuais.

“O formato da nossa ocupação é um formato de chamar a sociedade para contribuir, deixando bem claro que essa ocupação é séria, organizada, temos controle, horários, atividades, entre outras coisas.”

Maicon Douglas, estudante do ensino médio, reforça: “A gente não é desocupado. A gente é ocupante por uma única causa, que é a defesa dos nossos direitos. A gente está tentando conscientizar a população do que o governo está fazendo com a gente. Ele está tentando tirar os nossos direitos  que a gente lutou para conseguir. Daqui a algum tempo a gente pode não ter isso que a gente está tendo hoje. Essa estrutura, daqui a algum tempo, pode ser somente usada como depósito do governo. A gente quer que os estudantes se unam mais e que venhamos lutar contra o governo. Não existe uma pátria educadora sem os educandos.”

DIÁRIO DO SERTÃO

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe os organizadores do 1º Eco pedal e o garoto prodígio do futebol Luiz Felipe