header top bar

section content

Justiça determina que Prefeitura pague o Piso aos professores de CZ; Sindicalista comemora

O sindicato dos funcionários públicos comemorou a decisão da justiça e disse que vai cobrar piso retroativo.

Por

14/10/2011 às 21h45

A juíza da 4ª Vara da Comarca de Cajazeiras, Hígia Antônia Souto Barreto, determinou nesta sexta-feira (144), que a prefeitura da cidade pague o Piso Salarial Nacional dos professores municipais, que corresponde a R$ 1.187,97.

A ação foi promovida pelo Sindicado dos Funcionários Municipais de Cajazeiras (SINFUMC), que tentava desde o ano de 2009 o benefício, conquistado através de Lei Federal, porém, o prefeito alegava não ter como pagar aos professores.

Hígia acompanhou o parecer do Ministério Público, através do promotor Túlio César, que havia concedido o direito a classe.

Comemoração
O tesoureiro do SINFUMC, o professor Francisco das Neves comemorou a decisão da justiça e disse que agora a prefeitura vai ter que cumprir o que determina a lei. “O magistrado municipal agora vai receber o tão sonhado Piso Salarial, que é lei desde 2008, mas a prefeitura estava tentando emperrar esse direto adquirido”. Frisou Das Neves.

Das Neves acredita que o poder público municipal não vá criar mais nenhum obstáculo, pois, o próprio prefeito teria anunciado que pagaria o piso ainda este ano.

Segundo o representanmte do SINFUMC, após essa conquista da classe vai se iniciar uma nova “luta”, que é o pagamento retroativo desses valores. “Vamos entrar na justiça cobrando o retroativo, pois foi uma decisão da Assembléia”.

Ouça áudio!

DIÁRIO DO SERTÃO
 

ENTREVISTA BOMBÁSTICA

VÍDEO: Declarações polêmicas e provocações marcam o programa Xeque-Mate com o ex-prefeito Carlos Antônio

VÍDEO

Ex-aliado diz que prefeito de Cajazeiras forma “organização criminosa” e aponta gordas gratificações

DIÁRIO ESPORTIVO

Confira o resumo da rodada no programa Diário Esportivo com Luiz Júnior

XEQUE MATE

VÍDEO: Carlos Antonio declara pela 1ª vez publicamente apoio a Júnior Araújo; “é cancela fechada”