header top bar

section content

Lucas Lucco diz que ainda toma remédios para depressão e lembra pior fase: ‘Não conseguia sair de casa’

Lucas Lucco contou ainda que é do tipo que se preocupa muito com as pessoas ao seu redor, o que também influenciou no momento

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

20/04/2016 às 09h53

O cantor falou da pior fase. quando estava com depressão (Foto: Reprodução)

Quem vê Lucas Lucco no Snapchat, esbanjando bom humor e criando personagens, não imagina que o cantor ainda não está curado da depressão e da síndrome do pânico das quais foi vítima no final do ano passado. Em seu perfil na rede social, o cantor disse que ainda está tomando remédios, mas que aos pouco vem reduzindo a quantidade de medicamentos.

“Eu tomei remédios bastante tempo e até hoje tomo alguns, mas estou parando aos poucos. Foi um momento muito difícil para mim, meus pais e minha família”, recordou ele, contando que a sobrecarga de trabalhos foi determinante para que tivesse a saúde afetada. “Sempre trabalhei muito, tinha mais de 25 shows por mês, comecei a gravar “Malhação”, que é uma coisa que eu amo fazer, assim como cantar”.

Lucas Lucco contou ainda que é do tipo que se preocupa muito com as pessoas ao seu redor, o que também influenciou no momento. “Eu carrego o mundo inteiro nas costas, sozinho. Isso começou a ficar mais complicado e aconteceram coisas que me deixaram triste do nada”, disse o cantor, lembrando alguns dos piores momentos da doença. “Eu não conseguia sair de casa, faltei gravação e não fui a um show em Curitiba”.

Ele contou que sofreu em ter que se apresentar na época. “Eu fiz alguns shows com muita dificuldade mas, no palco, eu era o mesmo. Não podia transparecer isso. As pessoas que vão no show querem ter alegria”, desabafou. “O meu trabalho é como qualquer outro. Um médico, por exemplo, não pode levar problemas para a o consultório”.

O sertanejo comentou também que vários programas o procuraram para falar sobre a doença, mas que ele não queria ficar marcado como “o cara que ficou doente”. “Hoje eu posso ver de fora e falar sobre a depressão e a síndrome do pânico. É uma das piores doenças que existem, uma ferida que você não consegue ver, e nem as outras pessoas. Ela está dentro de você. Pode parecer frescura, mas é uma dor muito grande, além do medo de morrer”.

Lucas Lucco lembrou ainda o episódio em que uma prima sua o criticou nas redes sociais. Os comentários da moça surgiram quando ele publicou uma foto ao lado do avô no Instagram. Ela escreveu que Lucas era falso porque, quando lhe pediram ajuda para uma transferência, ele não se disponibilizou. “Isso me deixou pior do que eu estava. Na minha fase mais difícil, me julgaram”, citou. “O meu avô é o cara que eu mais amo no mundo inteiro. Eu não o vejo desde aquele dia, e isso me sufoca. Meu avô sustenta a minha fé, mesmo estando longe. Se hoje eu não bebo nem fumo para seguir os passos dele”.

Extra

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe o professor Sérgio Cunha divulgando o IV Open paraibano de Karatê; Confira!

CASA NOVA

Locutor esportivo troca de emissora de rádio em Cajazeiras e revela mágoa: “Tomei uma pancada violenta”

NOVIDADES

VÍDEO: Novo padre da Paróquia São João Bosco confirma que pretende revitalizar a Praça Camilo de Holanda

AO VIVO NA TV

BOMBA! Ator cajazeirense revela que foi estuprado quando era coroinha de igreja: “Fui pra missa chorando” – ASSISTA!