header top bar

section content

Bater o pé pode reduzir o risco de doenças cardiovasculares

Estudo sugere que a saúde cardiovascular das pessoas que passam o dia sentadas poderia ser beneficiada se elas batessem o pé ou mexessem mais as pernas

Por Redação Diário

06/08/2016 às 13h49

Sabe aquela pessoa que bate o pé e parece indicar nervosismo e irritar os outros? Especialistas em saúde cardiovascular dizem que é benéfico balançar os pés.

De acordo com um novo estudo realizado por investigadores da Universidade do Missouri, até bater ligeiramente os dedos dos pés ou das mãos poderia reduzir o risco de doenças cardiovasculares.

Os investigadores acreditam que esta poderia ser a resposta para melhorar a saúde do coração, justamente agora que tantas pessoas passam a maior parte do tempo sentadas no escritório.

O principal pesquisador, Dr. Jaume Padilla, professor assistente de nutrição e fisiologia do exercício explica: “Queríamos saber se uma pequena inquietação na perna poderia impedir um declínio na função vascular da perna provocada por um tempo prolongado passado sentado. Apesar de esperarmos que o remexer iria aumentar o fluxo de sangue para os membros inferiores, foi uma surpresa descobrir que isso seria suficiente para evitar um declínio na função arterial”.

Como reporta o Daily Mail, para este estudo os investigadores compararam a função muscular de 11 homens e mulheres saudáveis antes e depois de passarem três horas sentados. Sendo que cada um passou um minuto a mexer uma perna e descansou quatro minutos.

Notícias ao Minuto

ENTREVISTA

No Xeque-Mate, corretor avalia que Cajazeiras é melhor do que Sousa para investir no mercado imobiliário

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe os membros da Associação dos ciclistas de Cajazeiras e região; Confira!

ADVERSÁRIOS ETERNOS

Breckenfeld diz que nunca será candidato a prefeito de São João nem aliado de Zé Aldemir: “Chance zero”

PSICOLOGIA & FILOSOFIA

Cajazeirense que vendia poesia pra pagar curso em SP fala sobre sonhos e objetivos no “Psicologia no Ar”