Entretenimento
13/11/2016 às 12h04 • atualizado em 13/11/2016 às 19h11

postado por: Diário do Sertão

Estourado em várias regiões do Brasil, grupo de pagode de CZ diz que foi “barrado” em emissora de rádio

Durante entrevista, cantor do grupo de pagode relatou que apresentou vários projetos ao Fundo Municipal de Incentivo à Cultura


O cantor do grupo Pagodão SA, Genilson Silva, conhecido em todo território nacional como G do Pagodão, disse neste final de semana, durante entrevista ao programa Olho Vivo da TV Diário do Sertão, que ficou muito triste ao chegar em uma emissora de rádio local para fazer o lançamento do seu mais novo DVD, mas não foi recebido por um radialista que apresentava o programa naquele momento.

O músico disse que ficou triste porque seu grupo de pagode é hoje reconhecido em várias regiões do Brasil, inclusive com um grande grupo de fãs que o acompanha por todos os lugares onde a banda está, porém na sua própria cidade a banda é pouco executada nas emissoras de rádio. “Não temos muitos incentivo em nossa própria cidade”, ressalta.

Durante a entrevista, G do Pagodão relatou que apresentou vários projetos ao Fundo Municipal de Incentivo à Cultura (FUMINC), porém nenhum foi aprovado. Ele espera que na próxima administração de Cajazeiras os grupos da cidade possam ter mais espaço e condições para executar seus trabalhos. “Eu acho que nunca nem viram nosso projeto, batia e voltava, não sei o que acontecia”, completa o cantor.

O grupo de pagode do Sertão da Paraíba tem se destacado há vários anos na regiões Norte-Nordeste, além da Centro Oeste, onde o grupo tem o maior número de fãs.

G do Pagodão SA lamentou a falta de apoio de alguns seguimentos de sua cidade

G do Pagodão SA lamentou a falta de apoio de alguns seguimentos de sua cidade

PARA SABER  O Projeto de Lei de autoria do vereador Marcos Barros (PSB) que obriga as rádios do município de Cajazeiras a reservarem pelo menos 10% das suas programações musicais a artista de Cajazeiras foi aprovado em uma sessão da Câmara de Vereadores por unanimidade em junho de 2013.

DIÁRIO DO SERTÃO

Deixe seu comentário