header top bar

section content

Ex participante do BBB que confessou assassinato entra para a carreira política

Agora o ex-BBB trabalha como subsecretário de Cultura, onde tem um salário de R$ 2.800,00

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

23/02/2017 às 16h35 • atualizado em 23/02/2017 às 14h05

Luan deu o que falar na casa (Foto: Paulo Belote / Paulo Belote/Rede Globo/Divulgação)

Dois anos após ser eliminado com 87% dos votos do “Big Brother Brasil 15”, Luan Patrício, de 26 anos, deixou os holofotes da vida de ex-BBB para trás e agora dá expediente como subsecretário de Cultura de Mesquita, na Baixada Fluminense. Durante o confinamento, ele ficou marcado por comportamento e declarações polêmicas. Pegava comida escondida do grupo rival e não assumia, se envolvia em brigas, além de ter dito que teria assassinado um homem enquanto serviu ao Exército. Pressionado a comentar o caso na época, ele desmentiu. Mas e agora, como é que ele vai encarar os paredões da política?

— Nunca achei que teria vocação para essa vida — confessa Luan, que rejeitou o convite de ser candidato a vereador pela cidade onde cresceu: — O que me fez mudar de opinião e aceitar o cargo foi a equipe do prefeito eleito, Jorge Miranda (PSDB). Eles me mostraram um novo campo de visão sobre a política, de fazer coisas boas pela população.

A nova atividade, cuja remuneração é de cerca de R$ 2.800, mudou não só a realidade do ex-gerente de salão de beleza, mas seu discurso. Tanto que ele pretende se capacitar.

— Quero aprender muito e melhorar a cada dia minha atuação. O convite foi uma surpresa legal e estou gostando do que faço. Fui coordenador de campanha do prefeito e ele prometeu que se ganhasse a eleição, eu ocuparia esse cargo — conta Luan, que fala da recepção da população à sua indicação: — As pessoas me recebem bem. O que aconteceu no “BBB” é passado. Foi uma brincadeira. As pessoas, inclusive, me zoam com memes sobre as situações que aconteceram no programa e eu acho engraçado.

A vida do subsecretário

Luan Patrício divide os trabalhos com o secretário de Cultura Cleberson Farias: “Ele fica com a parte burocrática e eu com a de eventos. Depois que saí do programa, eu promovia festas em Mesquita”.

Extra

“Boca Quente” fala sobre Nilvan, Josival, Gutemberg e narra fato que mais lhe chamou atenção na área policial

PROGRAMA XEQUE-MATE

VÍDEO: Padre e missionários falam sobre recuperação de dependentes químicos na região de Cajazeiras

DIÁRIO ESPORTIVO

Ao lado de grandes nomes da imprensa, Diário Esportivo debate as rodadas da Série C e D do Paraibano

PARTIU PARA O ATAQUE

VÍDEO: Júnior Araújo diz que José Aldemir vai perseguir servidores que não apoiarem campanha de Paula