header top bar

section content

veja mais Entretenimento

De outro mundo: app permite que usuários tirem selfies com mortos

Por enquanto, a novidade não tem data de lançamento no mercado. Contudo, já tem repercutido, muito, pela internet.

Por Priscila Belmont

09/03/2017 às 10h08

Por meio da Inteligência Artificial, o avatar do morto responde a gestos e até tira selfies (Divulgação)

Um novo aplicativo permitirá que o usuário interaja e até tire selfies com pessoas que já faleceram. O With me (Comigo, em inglês) está sendo desenvolvido pela Elrois, empresa sul-coreana especializada na produção de avatares em 3D. Por enquanto, a novidade não tem data de lançamento no mercado. Contudo, já tem repercutido, muito, pela internet.

Como funcionará. Ainda durante a vida da pessoa, o aplicativo escaneia e cria uma imagem digitalizada, em 3D, dessa mesma pessoa. Para, depois de sua morte, reproduzi-la por meio de um software de Inteligência Artificial. Também com a ajuda da tecnologia, o avatar digital do falecido responde a gestos e até tira fotos com os amigos e familiares que buscam por uma interação, digamos, pós-morte.

Segundo a empresa sul-coreana, o app está sendo desenvolvido com a meta de possibilitar que indivíduos possam continuar a compartilhar momentos com os seus entes queridos, mesmo quando estes já faleceram. Quem já viu Volto Já, primeiro episódio da segunda temporada da série de ficção-científica Black Mirror, do Netflix, deve naturalmente se lembrar de que uma promessa do tipo pode se tornar um tanto perigosa.

Seria mesmo uma maneira apropriada de matar a saudade de alguém? Para psicólogos ouvidos pelo site de VEJA, o serviço desse app deve é acender um sinal de alerta na sociedade. É o que defende, por exemplo, a psicóloga Adriana Severine, para quem a prática não é nada saudável para as pessoas que buscam pela interação com falecidos.

“O processo do luto deve ser uma fase de superação dos familiares e amigos que continuam vivos”, explica Adriana. E acrescenta: “Esse app é só uma tentativa de mascarar uma perda significativa. A princípio, a ideia parece ser boa. Porém, a tecnologia em questão interrompe a fase de superação do luto, trazendo, na verdade, uma dor infinita. A pessoa corre o risco de acreditar em algo completamente fantasioso e, assim, não conseguir mais identificar a diferença entre o real e o imaginário. Criando para si um universo paralelo, distante da realidade”.

Veja

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Programa Mensagem de Esperança com Sara Sheyla e Nelson Dantas – 26052017

INTERVIEW

Diretora do Vale dos Dinossauros e agente de viagens destaca visitação as pegadas e ‘convoca’ empresários da região de Sousa e Cajazeiras para alavancar turismo. VÍDEO!

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe a atleta Rebeca Café e as integrantes do Cajá Volley de Cajazeiras

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Programa Mensagem de Esperança com Maria Vitória e Rodrigo Almeida 19.05.2017