header top bar

section content

Especial São João: Ícones do forró, Chico Amaro revela por que quase parou, e Nonato Cearense relata encontro com Luiz Gonzaga – VÍDEO!

Para falar sobre o forró que para muitos é o autêntico e eterno, a professora Maria do Carmo bateu um papo com Nonato Cearense e Chico Amaro

Por Jocivan Pinheiro

23/06/2017 às 16h50 • atualizado em 24/06/2017 às 13h27

Em pleno período de festas juninas, claro que o ritmo que domina o Brasil, especialmente o Nordeste, é o forró. E por mais eletrônico que ele fique, a clássica formação de sanfona, triângulo e zabumba ainda tem seu espaço. Para falar sobre esse forró que para muitos é o autêntico e eterno, a professora Maria do Carmo bateu um papo com dois ícones da região, Nonato Cearense e Chico Amaro.

Ambos já percorreram uma longa trajetória no mundo da música e conhecem como poucos as veredas desafiadoras e as recompensas de quem não abre mão das tradições. Nonato Cearense, por exemplo, já tocou até com o rei Luiz Gonzaga, de quem tirou lições sobre a grandeza atemporal do forró raiz.

“Eu acho que a base de tudo é o forró. Música boa não tem prazo de validade. Tudo pode se modernizar, mas a gente só se sente mais nordestino, sertanejo, ouvindo aquela coisa que toca o coração da gente, o coração do povo”, diz o sanfoneiro.

VEJA TAMBÉM: Com o bom e tradicional forró pé de serra, Maria Calado na TV em clima de São João e São Pedro recebe o sanfoneiro Chico Amaro

Nonato Cearense e Chico Amaro

Chico Amaro é outro que dispensa comentários. Lenda viva do forró no Sertão paraibano, esse cearense de nascimento, mas cajazeirense de coração é dono de uma das vozes mais marcantes do forró, já gravou vários discos e formou uma família de músicos. A filha mais nova, a pequena Laís Amaro, participou do programa The Voice Kids, da Globo.

Nesta entrevista, ele revela que recentemente chegou a pensar em parar por causa das dificuldades em tocar seu pé-de-serra por aí. Mas a sanfona continua sendo a sua companheira fiel.

“A sanfona não se apaga nunca. Toda vez que se puxa uma sanfona, quem vai passando na estrada dá uma olhadinha em quem está tocando, porque realmente é um som muito bonito. A sanfona na mão de um cara que toca bem é uma orquestra.”

Assista as entrevistas completas  – CLIQUE AQUI

DIÁRIO DO SERTÃO

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe os organizadores do 1º Eco pedal e o garoto prodígio do futebol Luiz Felipe

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Programa Mensagem de Esperança com Maria Vitória e Rodrigo Almeida 11.08.2017

INTERVIEW

Educadora fala da infância difícil e sua trajetória de sucesso: ‘Faltava dinheiro, mas não alegria’