header top bar

section content

Humorista Rafinha Bastos xinga cantor Zezé di Camargo por declaração sobre ditadura militar

Após crítica, o humorista foi atacado nas redes sociais

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

17/09/2017 às 09h00 • atualizado em 16/09/2017 às 18h37

Rafinha Bastos (Foto: Divulgação)

A entrevista de Zezé Di Camargo a Leda Nagle deu mesmo o que falar e acabou chamando atenção de um antigo desafeto da família: Rafinha Bastos. O humorista partiu para o ataque depois que o cantor sertanejo fez uma declaração sobre ditadura militar no Brasil.

“Eu vou falar um absurdo aqui para você, vão me criticar, jornalistas vão falar de mim, achar que sou um maluco. (…) Muito gente confunde militarismo com ditadura, todo mundo fala ‘nós vivíamos numa ditadura’. Nós não vivíamos numa ditadura, nós vivíamos num militarismo vigiado. Ditadura é a Venezuela, Cuba com Fidel Castro, Hungria, Coreia do Norte, China, esses são realmente ditadores. O Brasil nunca chegou a ser uma ditadura daquelas que ou você está a favor ou você está morto”, disse o cantor.

No Twitter, Rafinha não mediu as palavras. “E o prêmio ‘pau no cu’ do ano vai para…”, escreveu ele, compartilhando um link com a entrevista de Zezé.

Após xingamento, Rafinha foi duramente criticado nas redes sociais. Internautas defenderam que Zezé tinha direito de se expressar, da mesma forma que o humorista também o tinha.

Rafinha já se meteu em outra confusão com a família Camargo, mais precisamente com Wanessa. O humorista afirmou que ‘comeria ela e o bebê’, quando a cantora estava grávida do seu primeiro filho.

Notícias ao Minuto

Tags:

“Boca Quente” fala sobre Nilvan, Josival, Gutemberg e narra fato que mais lhe chamou atenção na área policial

PROGRAMA XEQUE-MATE

VÍDEO: Padre e missionários falam sobre recuperação de dependentes químicos na região de Cajazeiras

DIÁRIO ESPORTIVO

Ao lado de grandes nomes da imprensa, Diário Esportivo debate as rodadas da Série C e D do Paraibano

PARTIU PARA O ATAQUE

VÍDEO: Júnior Araújo diz que José Aldemir vai perseguir servidores que não apoiarem campanha de Paula