header top bar

section content

Gripes e resfriados que vão e voltam? Especialista dá dicas para prevenir e combater os problemas

Prevenção deve ser feita durante todo o ano e não somente nas épocas mais frias e secas

Por Minha Vida

14/06/2018 às 09h32

Especialista dá dicas de como enfrentar esse males

Com a chegada da temporada outono/inverno, a temperatura fica mais fria e o ar mais seco, cenário perfeito para que gripes, resfriados e alergias comecem a aparecer. Porém, não é só nessa época que esses problemas de saúde acontecem. Fatores como poluição e ácaros colaboram para o aparecimento dos quadros em outras estações do ano. Por isso, os cuidados preventivos devem ser feitos diariamente.

A otorrinolaringologista Maura Neves, do Hospital Universitário da USP, explicou como hábitos simples podem combater e prevenir gripes e resfriados em adultos e crianças. O live, transmitido na página do Facebook do Minha Vida, foi oferecido pela Libbs Farmacêutica.

Como a gente pode prevenir tanto gripe quanto resfriado em crianças e adultos?
Maura Neves: É aquela velha história que todos os médicos repetem: tem que se alimentar bem, tomar vacina e beber bastante água. Essas são orientações gerais, ou seja, todo mundo vai ter que fazer – tanto crianças quanto adultos. Inclusive, a vacina da gripe também é muito importante. Quem não tomou, por favor, tome. Além de se proteger, você protege o outro.

Agora, quando a gente pensa nas crianças, elas vão ter mais infecções do que os adultos. A criança, até por volta de quatro anos de idade, terá, em média, de seis a oito, às vezes até 11, infecções no ano. As mães devem pensar: ela vai ficar doente todo mês? Vai porque é um sistema imunológico que está em formação, criando anticorpos.

O que fazer além de tudo isso que a gente falou? Não dá para colocar a criança em uma bolha. Existem muitos trabalhos que mostram alguns mecanismos simples, mas o principal deles é lavar o nariz com soro fisiológico. Só a lavagem nasal já ajuda a prevenir essas gripes e resfriados. Quando você está com a gripe e faz a lavagem, ela ajuda a melhorar esse quadro gripal, ou seja, usar o soro fisiológico como mecanismo para ajudar no tratamento é fundamental porque ajuda prevenir essas condições.

O que é o “Ciclo da Saúde Nasal”? Qual a diferença da limpeza e da hidratação nasal?
Maura Neves: Quando você pensa no dia a dia, a gente vê a lavagem nasal como algo que tem que entrar na sua rotina diária, por conta desses benefícios que ela traz, já que vai prevenir gripes e resfriados. Mas existem milhares de outros poluentes que inalamos porque vivemos em cidade grande. Então, para prevenir isso, a gente imagina que você faça uma limpeza nasal e, na sequência, consiga fazer uma hidratação nasal.

Isso porque temos situações no nosso dia a dia que são inerentes, que vão secar o nariz. As pessoas dizem: “mas minha avó não tinha isso”. Tudo bem, mas possivelmente ela não ficava no ar-condicionado como a gente fica, não tinham tantos carros quando ela morava na cidade, ou seja, são condições ambientais que mudaram muito e que vamos ter que nos adaptar. Então, fazer esse ciclo é tentar manter a saúde nasal como um todo, ajudar o nariz a se proteger.

Com o tempo seco, a saúde respiratória também fica mais suscetível a desenvolver esses problemas?
Maura Neves: Sem dúvida alguma! No tempo seco temos uma condição climática que é adequada, é ideal para transmitir vírus. A gente tem o esfriamento do tempo, uma concentração de poluentes e dispersão maior de vírus. Além disso, as pessoas ficam mais juntas, abrem menos a janela, ficam mais aglomeradas e, com isso, transmitem mais gripe e resfriado.

As estações outono e inverno são realmente mais preponderantes para a gente ter quadro infeccioso, por isso a vacina vem justamente nessa época, também para ajudar a prevenir.

Como deve ser a limpeza nasal das crianças? O que a gente deve considerar na hora de escolher o produto?
Maura Neves: Na hora que a mãe vai escolher o produto, tem que escolher um produto que a deixe bem e confortável para utilizá-lo. Se ela nunca utilizou nada, a primeira coisa é ter orientação do médico para qual produto vai usar.

Segundo, a gente vai ter a necessidade, dependendo do momento que a criança está, de mais ou menos volume. Você pode usar um spray ou um aerossol, por exemplo, e cada mãe pode usar outros mecanismos que ela julgue necessário para fazer a desobstrução, para desentupir o nariz e deixar a criança respirando. Desde sprays a aerossóis ou até uma seringa, que muitas mães acabam utilizando também.

Existe alguma diferença entre esses tipos de produtos?
Maura Neves: Eles têm diferença. O gel é mais para hidratação. Você coloca dentro do nariz e fica mais tempo. Não vai escorrer tanto e vai hidratar. Ele também vai impedir que o nariz perca a água, o que diminui a formação de crosta.

O soro na forma de spray vai ter um volume menor, que vai limpar um pouquinho. E tem as apresentações de soro em aerossol, que são jatos contínuos que a gente coloca no nariz e realmente limpam o nariz, empurram aquela crosta e a removem. É preciso avaliar o que é mais interessante e o que a pessoa precisa naquele momento.

Por que é importante cuidar do nariz em todas as estações do ano e não só nos períodos mais frios e mais secos?
Maura Neves: Nas estações frias e secas a gente tem mais gripe, mais resfriado e mais vírus circulando. Mas, por exemplo, se pensarmos no Sul do Brasil, vamos lembrar que, nessas regiões mais temperadas, tem mais problema na primavera porque tem pólen, o que não acontece no Nordeste. Já se você pensar no Nordeste do Brasil, que é muito calor, não tem tanto problema com gripe e resfriado.

A gente não pode dar uma receita de bolo fechada para cada lugar porque os problemas respiratórios aparecem de maneiras diversas e nas diversas variações climáticas.

Às vezes, o paciente pergunta: “por que tenho que lavar o nariz sempre?”. É só a gente pensar, já que nosso maior poluente é o carro. Toda cidade tem muitos carros, então os maiores poluentes são ozônio e ou o que vem da combustão dos veículos. Existem aditivos que podem ser colocados na gasolina que vão liberar gases prejudiciais para a via respiratória, independente da época do ano.

Temos que lembrar que a gente está em uma condição que nossos pais e nossos avós não viveram. E não sei como vai ser a condição no futuro, por isso é fundamental fazermos a limpeza nasal, porque isso tem impacto em toda a via.

Então para quem vive em grandes cidades é fundamental reforçar esse cuidado com a limpeza nasal?
Maura Neves: Acho fundamental! Tem vários estudos mostrando que a poluição atrapalha as vias respiratórias, aumenta o índice de rinite e o número de gripes e resfriados. Isso atrapalha a qualidade de vida. Isso é a introdução de um hábito simples, que tem comprovação científica. A gente não fez isso com escova de dente? Vale a pena revisar e talvez ter um pouquinho mais de mente aberta e cuidar das vias respiratórias. É qualidade de vida e tudo que a gente quer é viver bem.

E os produtos que usam conservantes, como conta-gotas, são recomendados?
Maura Neves: Os produtos que têm conservantes são mais antigos no mercado. A gente usava bastante. Esses produtos que vão no nariz e voltam no frasquinho têm que ter um conservante para não contaminar aquele soro que vai ali dentro.

Esse conservante pode gerar um problema dentro do nariz. O nosso nariz é recoberto com um “tapete”, que são cílios da mucosa respiratória. Existem alguns trabalhos que mostram que esses conservantes podem lesar os cílios. Então, eles não vão funcionar da maneira adequada. Quando a gente faz a lavagem, jogamos o soro para ajudar esse cílio a eliminar a secreção. Já existem produtos mais modernos. Não há necessidade de usar um mecanismo de lavagem que pode comprometer mais do que ajudar.

Fonte: http://www.minhavida.com.br/saude/materias/33159-gripes-e-resfriados-especialista-da-dicas-para-prevenir-e-combater-os-problemas

“Boca Quente” fala sobre Nilvan, Josival, Gutemberg e narra fato que mais lhe chamou atenção na área policial

PROGRAMA XEQUE-MATE

VÍDEO: Padre e missionários falam sobre recuperação de dependentes químicos na região de Cajazeiras

DIÁRIO ESPORTIVO

Ao lado de grandes nomes da imprensa, Diário Esportivo debate as rodadas da Série C e D do Paraibano

PARTIU PARA O ATAQUE

VÍDEO: Júnior Araújo diz que José Aldemir vai perseguir servidores que não apoiarem campanha de Paula