header top bar

section content

Jovem deficiente que toca desde os três anos revela dificuldades e destaca desafios. Vídeo!

O jovem Lucas, falou como iniciou a carreira no ramo da música, e falou também que é preciso valorizar mais o artista da terra

Por

10/12/2015 às 17h00

Lucas Caetano, de 14 anos, tem deficiência visual desde quando nasceu, mas pesar das dificuldades, o menino esbanja simpatia e não se sente diferente pela deficiência. Lucas que é conhecido também como "Lucas Caetano dos Teclados", é natural do município de Santa Cruz, na região de Sousa, e fez aniversário nesta quarta-feira (09). A festa foi comemorada com muita música e bolo para todos os que assistiram de perto o tecladista durante um mini-show realizado Calçadão, centro da cidade de Sousa, no Sertão da Paraíba.

 

O pai de Lucas, Luciano Caetano, que também é deficiente visual, é o maior fã do filho e já notou a capacidade desde que o menino se apegou ao instrumento musical. Juntos, eles que montam toda estrutura durante a maioria dos eventos.

 

E assim como toda festa de aniversário, não poderia faltar a música para o aniversariante tocada com muito estilo ao som da sanfoneiro Gabriel, filho do músico Spido Rey.

 

Em entrevista à reportagem do Portal e TV Online Diário do Sertão, Lucas Caetano falou como iniciou a carreira no ramo da música e disse que é preciso valorizar mais o artista da terra.

"Desde os três anos de idade comecei a bater em latas, em plásticos, fui me identificando com a música. Alguns anos depois, ganhei uma sanfona, toquei flauta, bateria, mas me apaixonei realmente pelo teclado", disse.

DIÁRIO DO SERTÃO

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe os organizadores do 1º Eco pedal e o garoto prodígio do futebol Luiz Felipe

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Programa Mensagem de Esperança com Maria Vitória e Rodrigo Almeida 11.08.2017

INTERVIEW

Educadora fala da infância difícil e sua trajetória de sucesso: ‘Faltava dinheiro, mas não alegria’