header top bar

section content

Picada de aranha pode causar ereção peniana de 4 horas

Os cientistas puderam observar, ainda, um aumento da concentração de óxido nítrico no corpo cavernoso dos pênis dos animais.

Por

29/06/2015 às 12h41

A ereção do pênis pode durar até quatro horas (Foto: ilustrativa/internet)

A espécie de aranha Phoneutria nigriventer, encontrada aqui mesmo no Brasil, é bem inusitada. Em primeiro lugar, porque pertence ao gênero das aranhas armadeiras, das quais muitas pessoas são vítimas. Em segunda lugar, porque podem acarretar uma ereção peniana (provavelmente, desconfortável por ela ser seguida de dor intensa no local da picada e aumento da pressão sanguínea) em um sujeito de uma duração de 4 horas.

“A ereção é um efeito colateral que todos experimentam ao levar a picada, em conjunto com dor e desconforto”, diz Rômulo Leite, do Medical College of Georgia. “Nós esperamos que, um dia, isso venha a ser usado para o desenvolvimento de remédios que ajudem no tratamento da impotência sexual”.

Leite, Kenia Pedrosa Nunes e seus colegas, do mesmo local de estudo, isolaram os compostos do veneno da ranha. Apelidado de Tx2-6, o responsável pela ereção foi caracterizado como um peptídeo de cadeia curta. Em seguida, a substância foi injetada em ratos (que tiveram, em seus pênis, uma finíssima agulha destinada à medida da pressão sanguínea). O resultado foi positivo, a pressão do local realmente aumentou de forma significativa.

Os cientistas puderam observar, ainda, um aumento da concentração de óxido nítrico no corpo cavernoso dos pênis dos animais. Esse composto é bastante relevante para a ereção, visto que é produzido pelos neurônios a partir de um estímulo sexual codificado pelo cérebro e dá o primeiro passo para vários outros processos. Esses incluem ações de enzimas que facilitam o fluxo sanguíneo de entrada e dificultam o de saída, fazendo com que o órgão “inche” (ele pode ter até 10 vezes mais sangue do que quando está normal).

Porém, a ereção, uma hora, termina. E isso ocorre por conta de um composto chamado PDE-5. As drogas que combatem essa disfunção, normalmente, bloqueiam a ação de tal.

No entanto, o veneno da aranha age de forma diferente ao PDE-5. Ele, de alguma forma, aumenta, mais ainda, a concentração de óxido nítrico. Os cientistas acreditam que a combinação do veneno com as drogas sintéticas iriam dar um efeito mais duradouro (em outras palavras, você teria um “pênis eterno”). Ela poderia ajudar àqueles que não conseguem dar resposta às drogas normais.

Iai, será que vale a pena levar uma picada dessa aranha?

Fonte: Livescience

'AULÃO SOLIDÁRIO'

VÍDEO: Ordem DeMolay de Cajazeiras promove aulão gratuito preparatório para o ENEM; veja como participar

ENTRETENIMENTO

Maria Calado na TV com os integrantes do espetáculo “Trinca mas não quebra” e o cantor Lucas Soares

ALÍVIO

VÍDEO: Presidente da OAB de Cajazeiras afirma que a Comarca de Bonito de Santa Fé não será mais fechada

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa com a participação dos membros da Igreja Rei dos Reis