header top bar

section content

Projeto Interatos traz ações em João Pessoa e Campina Grande e espetáculo de Pernambuco

O espetáculo será apresentado no Teatro Paulo Pontes, dia 1 de julho às 20h. Já a oficina acontece nos dias 1, 2 e 3, no Espaço Cultural.

Por Priscila Belmont

20/06/2017 às 10h15

O espetáculo Picadeiro Pernambuco já foi apresentado em diversas versões do Festival Pernambuco Nação Cultural a convite da Secult-PE/Fundarpe

A Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) realiza, de 1 a 3 de julho, mais uma edição do projeto “Interatos – mostra e formação permanente de teatro, dança e circo”. No mês de férias, o público conta com ações em João Pessoa e em Campina Grande. Na área de dança, a programação traz o espetáculo Terreiro Envergado, do Coletivo Tanz (Erik Breno e Edigar Palmeira, PB) que, juntamente com a oficina A Estética da Deficiência, de Carolina Teixeira (RN), integrará a programação do Interatos com patrocínio do edital O Boticário na Dança. O espetáculo será apresentado no Teatro Paulo Pontes, dia 1 de julho às 20h. Já a oficina acontece nos dias 1, 2 e 3, no Espaço Cultural.

Nas mesmas datas acontece, em Campina Grande, a ação de teatro. Trata-se da oficina O Ritmo no Jogo do Ator, ministrada por Silvano Monteiro no Cine-Teatro São José.
A atração de circo é o espetáculo Picadeiro Pernambuco – A Tradição Milenar, do Centro Carcará (PE). A apresentação será no dia 2, às 17h, no Teatro Paulo Pontes, na Capital. O acesso às oficinas e palestra é gratuito. Para a ação circense e espetáculo de dança os ingressos custam R$ 5 (meia) e R$ 10 (inteira).
Para participar das oficinas é necessário se inscrever com antecedência por e-mail. Para a oficina O Ritmo no Jogo do Ator, em Campina Grande, o contato é acaoculturalsaojose@gmail.com. Os interessados devem enviar um e-mail solicitando ficha de inscrição.

Para ter acesso à palestra e oficina A Estética da Deficiência, os interessados devem se inscrever enviando e-mail para dancafunesc@gmail.com e solicitar o formulário. O trabalho é dirigido a dançarinos, atores, professores, terapeutas e quaisquer pessoas interessadas, com e sem deficiência física. A ação acontece de 1 a 3 de julho, nos turnos manhã e tarde, com performance de culminância em espaço aberto da Funesc. A oferta é de 25 vagas.

Terreiro envergado – O terreiro envergado é o espaço urbano do rito passageiro da manifestação do “brinquedo beat” dos intérpretes que, a partir, de ações gestuais e jogos propostos pelos próprios, estabelecem estruturas que são compostas de brincadeiras. As constituintes da brincadeira podem variar, seja, de uma estrutura material ou imaterial. A materialidade em cena percorre entre objetos, indumentárias e instrumentos que fazem parte da memória pessoal dos brincantes, a segunda é por sua vez a elaboração artística de uma esquematização dos códigos desta materialidade.

A precariedade corporal é estabelecida pelo diálogo/conflito do equilíbrio instável da sensibilidade feminina e masculina do homem. Explicitada pelos os códigos corporais, pela própria indumentária e internalização feita pelo subtexto das ações e dos jogos propostos para o rito do Terreiro Envergado. Duração: 40 minutos | Ficha Técnica – Criadores-Intérpretes: Edigar Palmeira, Erik Breno | Coreografia: Coletivo Tanz | Figurino: Viviane de Freitas | Contra-regra: Isabeli Cavalcante | Execução de sonoplastia: Viviane Freitas | Adereços: Erik Breno | Iluminação: Fabiano Diniz

A Estética da Deficiência – Curso-oficina ministrado pela professora doutora Carolina Teixeira. A ação pretende a realização de processos investigativos acerca do trabalho processos cênicos, contribuições e questionamentos do corpo em situação-impossível. Entende-se com esta nomenclatura a busca de situações em que o risco, as limitações e deficiências, tornar-se-ão elementos produtores de novas ações criativas de novas e emergentes ordens estéticas para o campo das artes da cena. Inscrições por e-mail dancafunesc@gmail.com.

O curso apresenta a discussão acerca das diversas linguagens cênicas de nosso tempo na busca de uma autonomia artística aberta ao engajamento político, estético social e filosófico envolvidos no processo de criação artística.

O curso-oficina será dividido em etapas, começando pela palestra de abertura “A Estética da Experiência”, que objetiva a exposição acerca dos Estudos da Deficiência e suas contribuições no campo das artes da cena no Brasil e no exterior, suas principais correntes investigativas e desdobramentos no campo sócio político e cultural das sociedades ocidentais. A etapa seguinte é a oficina em movimento “Transignificações em curso”.

Cena, criação, política-corpo e Deficiência como campo do conhecimento humano serão questões discutidas nesta oficina-comunicação. Temas atuais como inclusão, corpo deficiente e sua inserção nas artes cênicas serão vivenciados e discutidos nesta oficina. A importância do movimento e da ação cênica como elemento crítico e formador é a questão central deste trabalho. Por fim, haverá uma culminância com os participantes. Ministrante – Carolina Teixeira é Doutora em Artes Cênicas pelo PPGAC/UFBA. Atuou por onze anos (1996-2007) junto à renomada Roda Viva Cia. de Dança em Natal/RN. É artista independente trabalha entre Salvador e Natal criando intervenções e performances acerca do tema deficiência. Criou com diversos grupos do país (Coletivo MR/SP, Grupo Dançando com a Diferença/ Portugal, Grupo Roda Pará/ PA, Grupo de Estudos em Performance/ RS, dentre outros). É preparadora cênico-corporal e produtora cultural.

Picadeiro Pernambuco – A Tradição Milenar – Trabalho do Centro Carcará (PE) reúne diversos números circenses sob o mesmo espetáculo possibilitando ao espectador uma viagem pelas mais diferentes habilidades do circo, sem contar um a história. Busca valorizar a tradição milenar do circo que, com um jeito brasileiro e, particularmente nordestino, foi se incorporando definitivamente ao nosso imaginário cultural. Artistas tradicionais – que nasceram e foram criados sob a lona, artistas independentes que passaram a vida circulando por diversos circos do Brasil, e jovens artistas de trupes circenses se encontram no mesmo picadeiro, seguindo um roteiro que promove a interação do público, fomenta de forma lúdica a discussão sobre o papel do artista na nossa sociedade contemporânea, sempre acompanhado por uma banda de música.

O formato do picadeiro alterna de acordo com o público-alvo, o espaço disponibilizado para as apresentações (em espaços abertos não levamos números aéreos, por exemplo), e com o horário estabelecido para duração da cena. Salvaguardamos dentro dessas condições uma amostragem da diversidade da arte circense mantendo sempre números de equilíbrios, força, palhaçaria, pirofagia, contorção, música, ilusionismo e ações que surpreendam pela coragem e dinamismo, promovendo suspense, entretenimento e encantamento de crianças e adultos de todas as idades.

O espetáculo Picadeiro Pernambuco já foi apresentado em diversas versões do Festival Pernambuco Nação Cultural a convite da Secult-PE/Fundarpe, especialmente no Festival de Inverno de Garanhuns encerrando o Polo Circo por três anos seguidos. Foi levado aos polos oficiais do Carnaval do Recife em 2015, 2016 e 2017 e do Governo de Pernambuco em 2013 e 2014. Festival Janeiro de Grandes Espetáculos 2017. Mostra Teatro e Circo do SESC 2017. | Roteiro e encenação: Williams Sant’Anna | Produção executiva: Jonas Alcântara e Tiago Marques | Direção musical: Fábio Andrade | Direção de técnica Circense: Danilo Vidal e Jaqueson Santana | Iluminação: Thiago Santos Músicos: Fábio Andrade, Jorge Guerra, Alan Ameson e Marcos Monte | Elenco: Danilo Vidal, Euler Calebe, Hammai Assis, Ivo Amaral, Jaqueson Santana, Jonas Alcântara, Laércio Silva, Mister Braynner, Teresa Cristina, Tiago Marques e Williams Sant’Anna.

O Ritmo no Jogo do Ator – Oficina de percepção musical/percussão para atores com Silvano Monteiro. Partindo da pesquisa rítmica, perceptiva e cênica, as improvisações (a partir da “preparação” corporal desenvolvida durante a oficina), os exercícios de musicalização e a livre expressão servem para a fixação e desenvolvimento dos temas propostos. O projeto Passo a Passo – (Módulo I) – trata-se de uma oficina de pandeiros para atores iniciantes de ambos os sexos a partir de 15 anos de idade. Além de desenvolver e aprimorar a percepção rítmica, o gosto pela música (percussão), aprimorar habilidades motoras, aumentar a capacidade de concentração e memorização, melhorar a compreensão dos conceitos matemáticos, ajudar no desenvolvimento de um trabalho em equipe, também tem como objetivo, tão importante quanto, contribuir para resgate e manutenção da experimentação artístico-cultural. As aulas serão ministradas no Cine-Teatro São José, em Campina Grande, de 1 a 3 de julho. Inscrições por e-mail: acaoculturalsaojose@gmail.com.

O objetivo é levar informações e exercícios para o aprendizado e desenvolvimento da técnica básica do pandeiro com foco no trabalho criativo do ator, desenvolver a consciência musical dialogando com a fisicalidade, desenvoltura, aprimoramento motor e capacidades físicas, elaboração de um pensamento lógico ou não (non sense), desenvolver a expressão individual como também se relacionar com o coletivo, autoconhecimento, integração e fortalecimento do coletivo (pensar em grupo), desenvolver o processo criativo e ativo na arte cênica, enriquecer e aprimorar a percepção rítmica, utilizando jogos lúdicos, teatrais, individuais e coletivos.

Para atores com idade a partir de 15 anos, iniciantes que tenham interesse em desenvolver a percepção rítmica, o conhecimento pela percussão e pelo pandeiro, que apesar de ser um instrumento de origem árabe está intimamente ligado à nossa cultura através dos ritmos regionais e populares como o samba, congada, jongo, maracatu, ciranda, entre outros.

Nas aulas serão trabalhados o passo, o corpo como instrumento e a representação cênica, técnicas para se produzir timbres graves, médios e agudos, por meio de práticas de conjunto com composições de polirritmia com os ritmos regionais (samba, coco, baião), com foco no trabalho do ator.

Parceria com a PBGás – A Companhia Paraibana de Gás (PBGás) e a Fundação Espaço Cultural da Paraíba estão juntas na realização do projeto Interatos, colocando a cidade de João Pessoa no roteiro das principais produções de teatro, dança e circo do país.

Este ano, foi assinado contrato de patrocínio entre a PBGás e a Funesc para a realização do projeto Interatos, que promove atividades permanentes entre os meses de março a dezembro, sempre no primeiro fim de semana do mês, com espetáculos cênicos do Brasil e da Paraíba.

Dentro do projeto Interatos serão desenvolvidos, ao longo do ano, atividades de formação e espetáculos de teatro, circo e dança patrocinado pelo Boticário e a PBGás, através da Lei Rouanet.

Patrocínio de O Boticário – O patrocínio de O Boticário é resultado de um edital nacional da empresa. O Interatos teve projeto aprovado no ‘O Boticário na Dança’, um programa de patrocínios a projetos culturais voltado exclusivamente para a área da dança.

‘O Boticário na Dança’ é estruturado com a finalidade de contribuir para a preservação, a valorização e o acesso à dança e às suas diversas manifestações; fortalecer a produção cultural de grupos, criadores e artistas; e estimular a formação de público e talentos para a área.

Os apoios são direcionados a festivais, mostras, espetáculos, manutenção de companhias, circulação, produção de vídeos, livros e periódicos, sites, cursos, workshops, oficinas, palestras, fóruns, exposição fotográfica e exibição de vídeos e filmes.

Interatos – Realizado pela Fundação Espaço Cultural da Paraíba, o ‘Interatos – Mostra e Formação Permanente de Dança’ promove mensalmente apresentações e atividades formativas (oficinas, cursos, debates, rodas de conversa, seminários) com artistas paraibanos, nacionais e internacionais.

Sob coordenação de Ângela Navarro, o setor de Dança tem programação regular nos equipamentos da Fundação Espaço Cultural José Lins do Rego (Funesc), complexo cultural com uma das maiores áreas construídas na América Latina, lugar central e seguro que possui entre seus equipamentos uma escola de dança, com cerca de 500 alunos.

Serviço:
Interatos julho
Dança
Oficina e palestra “A Estética da Deficiência”, com a Dra. Carolina Teixeira (RN)
01 a 03/07 – 9h às 12 e das 14h às 17h
Local: salas do Mezanino 2, Espaço Cultural José Lins do Rego
Inscrições gratuitas pelo e-mail: dancafunesc@gmail.com
Informações: 3211-6225

Espetáculo: “Terreiro Envergado”, com o Coletivo Tanz (PB)
01/03, às 20h
Local: Teatro Paulo Pontes
Entrada: R$ 5 (meia), R$ 10 (inteira)

Teatro
O Ritmo no Jogo do Ator – Oficina de percepção musical/percussão para atores com Silvano Monteiro.
01 a 03/07 – 9h às 12 e das 14h às 17h
Local: Cine-Teatro São José, R. Lino Gomes da Silva, s/n, Bairro de São José, Campina Grande – PB.
Inscrições gratuitas pelo e-mail: acaoculturalsaojose@gmail.com
Informações: (83) 3342.9993

Circo
Picadeiro Pernambuco – A Tradição Milenar –Centro Sócio-Cultural de Promoção à Cidadania – Carcará, Cabo de Santo Agostinho/PE)
02/07, às 17h
Local: Teatro Paulo Pontes
Preço: R$ 5 (meia entrada) e R$ 10 (inteira)

Informações: 3211-6225
Realização: Funesc / PBGás
Patrocínio: O Boticário na Dança

Secom

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan