header top bar

section content

Radialista de Sousa declara que maioria da imprensa é vendida e fala sobre o forró de plástico.

O radialista deu zero aos programas jornalísticos de Sousa e disse: “Eles não desempenham seu papel frente a sociedade"

Por

20/05/2014 às 20h38

Lui Silva foi o entrevistado do Frente a Frente da TV Diário do Sertão

O programa Frente a Frente da TV Diário do Sertão entrevistou o comunicador e produtor sousense, Luciano Aires (Lui Silva). Ele disse que trabalhou na imprensa de Cajazeiras, onde aprendeu muito. ”Cajazeiras me acolheu muito bem. Fiquei seis anos lá”

Lui Silva deu nota dez ao aumento de evangélico no país. “As práticas religiosas são sempre bem vindas. Conhecer a religião evangélica me ajudou muito, e agradeço essa oportunidade de conhecer mais a Deus”.

O comunicador deu dez aos pais. “Estou sempre perto deles. São tudo na minha vida”.

Ele deu nota dez as manifestações durante a Copa do Mundo. “As pessoas tem o direito de expressar suas opiniões”.

O sousense deu dez as filhas. “Apesar da distância, elas estão no meu coração. Filho é importante, é um pedaço de você”.

Os zeros
Lui deu nota zero ao “forró de plástico” e explicou: “Influencia negativamente as crianças. Lepo Lepo e Claudinha Bagunceira é uma má influência”.

O radialista deu nota zero a colegas que se vendem aos políticos. “A pessoa perde a credibilidade. O radialista não vai ter moral de falar sobre o político que está pagando. Em Sousa não há imparcialidade. Hoje está terrível. Em Sousa quase 100% recebe dinheiro de políticos para escolher um lado para defender”.

Ele deu zero a pastores como políticos. “A política corrompe. Ou você serve a Deus ou ao meio”.

O radialista deu zero aos programas jornalísticos de Sousa e disse: “Eles não desempenham seu papel frente a sociedade. Eles escolhem sempre uma cor, e isso não é ético. Se o jornalismo fosse mais independente, a cidade seria melhor, o povo estava bem representado porque a imprensa sabe cobrar”.

O sousense também deu nota zero ao Funk Ostentação, e justificou: “O Brasil é rico em diversos estilos. Dou zero também para a imprensa que divulga o Funk Ostentação. Música é cultura, e culturalmente este tipo de música não serve”.

Coringa
Perguntado sobre as diferenças entre as religiões: Católica e Evangélica, ele respondeu que a discussão entre as religiões não constroem, mas defendeu a convivência entre elas. “Acho que devemos nos preocupar e seguir a doutrina de Cristo, os ensinamentos dele”.

Veja vídeo!

DIÁRIO DO SERTÃO

XEQUE-MATE

VÍDEO: Vereador de Cajazeiras e educadores esclarecem polêmicas sobre a identidade de gênero nas escolas

DIÁRIO ESPORTIVO

Tudo sobre as novas contratações e a preparação dos times para o Campeonato Paraibano 2018

PSICOLOGIA NO AR

VÍDEO: Psicólogos debatem comportamento do ‘stalker’ nas redes sociais e quando o amor se torna obsessão

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa: Em Continência ao Senhor Jesus com os membros da Igreja Batista Independente