header top bar

section content

Sousa despacha o Treze no Amigão e conquista primeiro turno do Estadual

O título coroa o time que melhor aproveitou o fato de jogar em casa nas fases decisivas. Nas semifinais, o Dinossauro eliminou o Nacional de Patos após vencer no Marizão e empatar no José Cavalcanti.

Por

15/03/2009 às 18h08

O Sousa fez a festa no estádio Amigão na tarde deste domingo, 15, venceu o Treze por 1×0 e conquistou o título do primeiro turno do Campeonato Paraibano. De quebra, o alviverde garantiu presença na final do Estadual, caso outra equipe vença o returno. E o time nem precisava vencer a partida para ser campeão. Como havia ganho em Patos por 2×1, bastava um simples empate.

Mas após suportar a pressão alvinegra no primeiro tempo, o Sousa soube impor seu ritmo e se aproveitou do nervosismo do rival, que na etapa final errou muito e em nenhum momento ameaçou o goleiro Ricardo. Diga-se de passagem, apesar do domínio territorial do Galo em quase todo o jogo, as melhores oportunidades eram do Sousa.

O título coroa o time que melhor aproveitou o fato de jogar em casa nas fases decisivas. Nas semifinais, o Dinossauro eliminou o Nacional de Patos após vencer no Marizão e empatar no José Cavalcanti. Contra o Treze, nova vitória no primeiro jogo.

Vale lembrar a celeuma que envolveu a partida em Patos, que até o dia da partida não se sabia ao certo se haveria confronto, por conta de várias mudanças no local da decisão.

O jogo – A partida começou em alta velocidade e quem partiu para cima primeiro foi o Sousa. Edmundo recebeu cara a cara com Delmir, mas o chute foi para fora. Pelo lado do Treze, o primeiro lance de perigo foi aos 5 min, quando Cléo Paraense cruzou para Nonato, que chutou fraco e Ricardo defendeu com tranquilidade.

Aos 10 min, Edmundo escapou pela direita e cruzou para Dileu. Na hora do chute, a zaga apareceu e atrapalhou o atacante alviverde. Um minuto depois, Nonato recebeu cruzamento e tocou de cabeça por cima de Ricardo. A defesa cortou quase em cima da linha. Aos 14 min, Nonato arriscou de fora da área e Ricardo defendeu.

Aos 21 min, Cléo Paraense cobrou falta pela direita de ataque e Nonato mandou para fora de cabeça. Aos 34 min, um lance incrível.

Edmundo dominou dentro da área, driblou Delmir e sozinho, com o gol aberto, fez o mais o difícil: acertou a trave. No rebote a defesa alvinegra afastou o perigo. O Treze só voltou a assustar aos 43 min. Edílson, que havia entrado no lugar de Roni, arriscou de fora da área e a bola passou raspando a trave de Ricardo. Dois minutos depois foi a vez de Tony chutar de longe, mas o goleiro defendeu.

Na etapa final o jogo caiu de qualidade e o Treze passou a tentar chegar ao gol de toda forma, muitas vezes desorganizado. E o resultado não poderia ser outro. Aos 20 min, após contra-ataque, Miltinho sofreu falta no lado direito. Marquinhos entrou em seu lugar e cobrou. De cabeça, Ranieri tocou livre e abriu o marcador: 1×0.

Ficha Técnica:
Treze: Delmir, Antônio Carlos, Bruno, André Lima e Cleydson; Roni (Edilson) (Lecheva), Tony, Geraldo e Daniel; Nonato e Cléo Paraense. Téc.: Marcelo Villar.

Sousa: Ricardo, Nino, Rogério, Ranieri e Camilo; Juninho, Iarley, Miltinho (Marquinhos) e Manu (Aílton); Edmundo e Dileu.
Téc.: Reginaldo Sousa.

Cartão Amarelo: Antônio Carlos (Treze); Rogério (Sousa).

Árbitro: José Renato.

Fonte: Wscom

PROCESSO DE MIGRAÇÃO

Diretor regional na Paraíba tira todas as dúvidas sobre abertura de novas contas dos servidores estaduais no Bradesco

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Programa Mensagem de Esperança com Sara Sheyla e Nelson Dantas

A FAVOR DA REFORMA

Empresário diz que Justiça do Trabalho só penalizava os patrões e chama a CLT de ‘excrescência jurídica’

DA REGIÃO DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Do assassinato do pai ao sucesso na política, prefeito conta trajetória de superação no Interview