header top bar

section content

Ex-Jogador Marcelinho Carioca diz que religião atrapalhou sua carreira na Seleção

Ex-jogador não esconde mágoa por nunca ter jogado uma Copa do Mundo e atribuiu à religião o fato de ter sido sempre preterido.

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

29/02/2016 às 19h40

O ex-atacante e atual político (filiado ao PT) Marcelinho Carioca fez recentemente uma reflexão sobre sua carreira nos gramados e revelou não entender porque nunca foi convocado para uma Copa do Mundo.

Na visão do ex-jogador, seu comportamento dentro de campo e sua religião o atrapalharam. Ele sente que foi julgado errado pelas pessoas
.
“Eu passei uma imagem dúbia, as pessoas pensavam que o Marcelinho era maluco, marqueteiro ou falso por causa do evangelho”, afirmou o jogador em entrevista à RedeTV!.

Ele está certo de que sua aproximação com a religião evangélica foi um dos principais fatores que fizeram com que fosse barrado por alguns técnicos: “Eu acho que incomodou determinadas pessoas eu ter levantado muito forte o lado do evangélico, deve ter sido isso. Ninguém podia questionar o meu talento, que era aflorado toda quarta-feira e todo domingo com gols, artilharias, gols decisivos, lances ontológicos”, acrescentou.

“Pé de Anjo”, como era chamado por usar chuteiras de número 35, o que é incomum para um homem adulto, e mesmo assim possuir um potente chute, não esconde a mágoa por nunca ter sido convocado para uma Copa do Mundo.

O ex-jogador afirma que jogava em alto nível durante o período das Copas de 1994, 1998 e 2002 e considera estranho não ter sido chamado para nenhuma delas – Parreira, Zagallo e Felipão eram, respectivamente, os técnicos da Seleção Brasileira.

“Eu tenho essa tristeza, porque você recebe todos esses troféus e está sendo considerado o melhor jogador do Campeonato Brasileiro. De 1994 a 2001 mantive uma regularidade, recebendo o prêmio Bola de Ouro e Bola de Prata, fiz gols decisivos nas finais e não estava na relação dos 22 jogadores [convocados para a Copa do Mundo]. Jogar seria uma opção do treinador, mas não estar no grupo dos 22 jogadores para a Copa de 1994, 1998 e 2002? Tem algo estranho”, finalizou.

Marcelinho foi revelado pelo Flamengo e tornou-se ídolo no Corinthians. Pelo clube carioca conquistou o Brasileiro de 1992, a Copa do Brasil de 90 e o Carioca de 91.
No clube Alvinegro ele foi bicampeão brasileiro, em 1998 e 99, tetracampeão do Paulista, campeão da Copa do Brasil, em 95, e do Mundial de Clubes, em 2000. Além de ter conquistado a torcida, o que nunca é uma tarefa fácil no “Timão”.

Gospel Prime

ENTREVISTA

VÍDEO: Programa Psicologia no Ar recebe professor doutor de Cajazeiras pra falar sobre Psicologia Social

INTERVIEW

VÍDEO: Autor do filme “Memória Bendita” fala sobre os desafios de promover cultura na região de Sousa

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa: Em Continência ao Senhor Jesus com os membros da Igreja Fonte de Água da Vida

MARIA CALADO NA TV

Maria Calado na TV recebe diretamente do Rio Grande do Norte, Fábio Carvalho; CONFIRA!