header top bar

section content

Ex-Jogador Marcelinho Carioca diz que religião atrapalhou sua carreira na Seleção

Ex-jogador não esconde mágoa por nunca ter jogado uma Copa do Mundo e atribuiu à religião o fato de ter sido sempre preterido.

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

29/02/2016 às 19h40

O ex-atacante e atual político (filiado ao PT) Marcelinho Carioca fez recentemente uma reflexão sobre sua carreira nos gramados e revelou não entender porque nunca foi convocado para uma Copa do Mundo.

Na visão do ex-jogador, seu comportamento dentro de campo e sua religião o atrapalharam. Ele sente que foi julgado errado pelas pessoas
.
“Eu passei uma imagem dúbia, as pessoas pensavam que o Marcelinho era maluco, marqueteiro ou falso por causa do evangelho”, afirmou o jogador em entrevista à RedeTV!.

Ele está certo de que sua aproximação com a religião evangélica foi um dos principais fatores que fizeram com que fosse barrado por alguns técnicos: “Eu acho que incomodou determinadas pessoas eu ter levantado muito forte o lado do evangélico, deve ter sido isso. Ninguém podia questionar o meu talento, que era aflorado toda quarta-feira e todo domingo com gols, artilharias, gols decisivos, lances ontológicos”, acrescentou.

“Pé de Anjo”, como era chamado por usar chuteiras de número 35, o que é incomum para um homem adulto, e mesmo assim possuir um potente chute, não esconde a mágoa por nunca ter sido convocado para uma Copa do Mundo.

O ex-jogador afirma que jogava em alto nível durante o período das Copas de 1994, 1998 e 2002 e considera estranho não ter sido chamado para nenhuma delas – Parreira, Zagallo e Felipão eram, respectivamente, os técnicos da Seleção Brasileira.

“Eu tenho essa tristeza, porque você recebe todos esses troféus e está sendo considerado o melhor jogador do Campeonato Brasileiro. De 1994 a 2001 mantive uma regularidade, recebendo o prêmio Bola de Ouro e Bola de Prata, fiz gols decisivos nas finais e não estava na relação dos 22 jogadores [convocados para a Copa do Mundo]. Jogar seria uma opção do treinador, mas não estar no grupo dos 22 jogadores para a Copa de 1994, 1998 e 2002? Tem algo estranho”, finalizou.

Marcelinho foi revelado pelo Flamengo e tornou-se ídolo no Corinthians. Pelo clube carioca conquistou o Brasileiro de 1992, a Copa do Brasil de 90 e o Carioca de 91.
No clube Alvinegro ele foi bicampeão brasileiro, em 1998 e 99, tetracampeão do Paulista, campeão da Copa do Brasil, em 95, e do Mundial de Clubes, em 2000. Além de ter conquistado a torcida, o que nunca é uma tarefa fácil no “Timão”.

Gospel Prime

PARA A ETERNIDADE

VÍDEO: Programação de 70 anos do Atlético começa com exposição histórica que promete encantar Cajazeiras

ALFINETOU

VÍDEO: Aliado do prefeito destaca asfaltamento de ruas de Cajazeiras e alfineta grupo de Carlos Antonio

REVELAÇÃO

VÍDEO: Emocionado, radialista fala de dificuldades na infância e revela que ‘amigo’ lhe ofereceu drogas

VEJA

VÍDEO: Gilvan de Andrade fala de experiência no Rádio em Cajazeiras e João Pessoa