header top bar

section content

Lutadora de UFC tira a roupa e faz a festa de fãs. Confira!

O Instagram de Angela Magana devia ter um selinho: para maiores de 18 anos.

Por Redação Diário

27/03/2016 às 19h59 • atualizado em 29/03/2016 às 00h56

Angela Magana lutadora de UFC faz a festa dos fãs (Reprodução: Instagram)

O Instagram de Angela Magana devia ter um selinho: para maiores de 18 anos. Já faz um tempo que a lutadora peso palha do UFC resolveu que seu perfil não teria pudores. Há fotos zoando as amigas em poses constrangedoras, vídeos malucos, um pouco de sua rotina de treinos e lutas e, o que a galera tem mais pedido ultimamente: “nudes”.

Normal, né? O perfil é da moça, e ela faz o que quiser com ele. Mas, desde que começou a postar suas fotos com bumbum de fora, Magana teve de se ver com a dúvida: o que ela faz é autêntico, ou puro marketing? Nos octógonos, ela não faz tanto sucesso quanto nas redes sociais: ZERO vitórias no UFC até aqui.

A dúvida faz sentido, já que lá em 2014 ela chegou a postar: “Só queria agradecer a Cris Cyborg pelo conselho para ficar mais popular. Eu pulei (os posts) de treinos e subi um monte de fotos de bunda. Funcionou!”.

Mais tarde, ao MMA Fighting, ela se explicou: “Nunca fui fã de redes sociais, estava muito ocupada vivendo minha vida. Mas uns perdedores vinham abusar de mim no Twitter, e eu não ia ficar calada. Comecei a usar como uma ferramenta para mim. E agora estou viciada nisso”.

Sobre as fotos ousadas, ela admitiu que o barulho causado pelas fotos nuas foi proposital, mas diz que é como qualquer outra lutadora. “Eu não acho que fiz nada maluco. Olhe Felice (Herrig), Ronda (Rousey), Cris (Cyborg) e todas as fotos sexy delas. Eu apenas gosto de ser eu mesma, sem me censurar. Prefiro ser assim do que ser como Jon Jones, falso e sempre falando de Jesus”.

Nos resultados, Angela segue devendo. Perdeu sua primeira luta no UFC no TUF 20 Finale, por pontos, para Tecia Torres. Depois, em julho de 2015, foi finalizada por Michelle Waterson. Com isso, são 11 vitórias e 8 derrotas na carreira.

O caso de Magana mostra que o peso palha feminino, o mais recente criado pelo Ultimate, ainda
é carente de talentos. Fora a campeã Joanna Jedrzejczyk e a desafiante Claudia Gadelha, as meninas ainda são mais conhecidas pelo que aparentam (Paige Vanzant, Felice Herrig, Bec Rawlings…) do que pelo que lutam. Com o tempo, isso deve mudar.

Uol

Tags:
ENTREVISTA

No Xeque-Mate, corretor avalia que Cajazeiras é melhor do que Sousa para investir no mercado imobiliário

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe os membros da Associação dos ciclistas de Cajazeiras e região; Confira!

ADVERSÁRIOS ETERNOS

Breckenfeld diz que nunca será candidato a prefeito de São João nem aliado de Zé Aldemir: “Chance zero”

PSICOLOGIA & FILOSOFIA

Cajazeirense que vendia poesia pra pagar curso em SP fala sobre sonhos e objetivos no “Psicologia no Ar”