header top bar

section content

UFC escala brasileira para disputar cinturão que foi de Ronda Rousey

O anúncio oficial foi feito pela própria americana durante o programa UFC Tonight

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

07/04/2016 às 08h54

Amanda Nunes vem embalada por três vitórias seguidas no evento (Foto: Diego Ribas)

Depois de muita especulação, o UFC confirmou nesta quarta-feira (6) o retorno de Miesha Tate ao octógono. Campeã dos pesos-galos (61 kg), a americana foi anunciada como nova grande atração para o show de número 200 da franquia a ser realizado no dia 9 de julho, em Las Vegas (EUA). E sua rival será uma brasileira.

Atual dona do cinturão, Miesha vem de vitória sobre Holly Holm no último dia 5 de março e colocará seu posto em jogo pela primeira vez diante de Amanda Nunes, brasileira que vem embalada por três triunfos seguidos no show e soma cinco vitórias em seis apresentações no octógono mais famoso do mundo.

O anúncio oficial foi feito pela própria americana durante o programa UFC Tonight. Apresentando o show ao lado do ex-lutador Kenny Florian, Miesha revelou que medirá forças contra a baiana de 27 ano que em sua última apresentação, também em março, bateu Valentina Shevchenko por pontos e se credenciou para disputar o título.

Por sua vez, as ex-campeãs Ronda Rousey, Holly Holm, assim como a antiga desafiante Cat Zingano, seguem sem data para retornar ao cage do evento.

Para a mesma noite do UFC 200, Conor McGregor já havia sido confirmado como estrela principal da noite para fazer a revanche diante de Nate Diaz, enquanto que José Aldo e Frankie Edgar medirão forças pelo título interino da categoria dos pesos-penas (66 kg).

Agfight

ALFINETOU

VÍDEO: Aliado do prefeito destaca asfaltamento de ruas de Cajazeiras e alfineta grupo de Carlos Antonio

REVELAÇÃO

VÍDEO: Emocionado, radialista fala de dificuldades na infância e revela que ‘amigo’ lhe ofereceu drogas

VEJA

VÍDEO: Gilvan de Andrade fala de experiência no Rádio em Cajazeiras e João Pessoa

VÍDEO

Padre anuncia reforma da paróquia São João Bosco de Cajazeiras a avalia atuação do bispo