header top bar

section content

Lutador causa polêmica em desabafo: “Cerca de 70% dos lutadores pesos-pesados do UFC se dopam”

Gigante americano diz que não se importa em enfrentar rivais que usam substâncias proibidas, e espera disputar o título em 2017, provavelmente contra Alistair Overeem

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

19/07/2016 às 13h22

Derrick Lewis diz não se importar em encarar lutadores dopados (Foto: Evelyn Rodrigues)

Sempre direto nas entrevistas, o peso-pesado Derrick Lewis não hesitou ao abordar o problema de dopagem no MMA. Em entrevista ao programa “MMA Hour”, o lutador disse acreditar que a maioria dos integrantes da sua categoria usam substâncias ilícitas para o aumento de performance. Mas se engana quem acha que o “Fera Negra” se incomoda com isso.

– A verdade é que cerca de 70% dos pesos-pesados do UFC se dopam, mas isso não me incomoda. É uma burrice imensa eles fazerem isso, porque os testes-surpresa estão sendo feitos constantemente. Esses caras se arriscam a perder milhares de dólares por uma coisa tão idiota, que nem vai ajudá-los. Acho que um cara que se dopa deve sofrer de uma insegurança muito grande. Mas, para mim, pouco importa. Esse esporte já é perigoso, tudo pode acontecer. Se você quer se dopar, vá em frente. Só vai te deprimir ainda mais depois.

Perguntado se ficou surpreso com o doping de Brock Lesnar após o UFC 200, Lewis disse que a notícia já era esperada.

– Não foi surpresa nenhuma. É como Nate Diaz sempre diz, não tem novidade nenhuma nisso. Olhem pra ele. Todo mundo sabe que ele se dopa, mas isso não me afeta em nada. Eu encaro qualquer um. Estou pronto para quem vier. Claro que eu o enfrentaria. Cansei de enfrentar caras dopados quando lutava em eventos menores, e não estava nem aí. Isso não faz ninguém lutar melhor, na minha opinião. Vou continuar comendo frango frito e fast food antes das minhas lutas.
Para o peso-pesado, que vem de quatro vitórias seguidas, sua chance de disputar o cinturão deverá vir em uma ou duas lutas, provavelmente contra Alistair Overeem, a quem fez uma provocação.

– Acho que minha hora vai chegar no ano que vem. Talvez contra Alistair Overeem. Acho que ele vencerá Stipe Miocic. Se Overeem se mantiver limpo… Eu sei que ele está com a tentação de usar esteroides, tenho certeza disso. Mas, se ele conseguir resistir a isso, acho que nos enfrentaremos em 2017.

Sobre sua próxima luta, Derrick Lewis acredita que pode ter Mark Hunt ou Todd Duffee pela frente, mas ainda pensa em dar a revanche a Roy Nelson, a quem derrotou no “UFC: Dos Anjos x Alvarez” por decisão dividida. O americano não esconde que pretende voltar ao octógono o mais rápido possível.

– Ainda quero dar a revanche a Roy Nelson – eu queria muito tê-lo nocauteado, mas ele tem um queixo de ferro. Acertei golpes muito duros, talvez os mais duros que já dei, e ele não caía. Foi inacreditável. Depois dele eu iria tentar enfrentar Brock Lesnar, mas como ele não deve poder lutar por um tempo, talvez meu próximo rival seja Mark Hunt. O que eu quero é voltar a lutar logo. Em setembro, ou no fim de agosto está bom para mim, não importa contra quem. Acho que Hunt faz sentido agora, ou talvez Todd Duffee. Não sei se ele ainda está suspenso, mas as pessoas meio que esqueceram dele. Seria uma boa luta também. Acho que até o fim dessa semana terei alguma novidade.

Sportv

MERCADO NEGRO

EXCLUSIVO: Padre denuncia que Cajazeiras está repleta de ‘locadoras de armas’: “A polícia sabe” – VÍDEO!

PARABÉNS

VÍDEO: Veja a mais nova música que homenageia a cidade de Cajazeiras nos seus 154 anos de emancipação

AO VIVO

Assista ao Debate de Cajazeiras completo; vários temas foram levantados para melhorar a cidade

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor