header top bar

section content

Mais um: Polícia prende outro atleta na Vila Olímpica por estupro contra camareira

Prisão acontece dois dias depois do caso envolvendo o também boxeador, marroquino, que atacou outra camareira

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

08/08/2016 às 12h51

Boxeador da Namíbia foi preso por estupro contra uma camareira, dois dia depois da prisão do também boxeador marroquino, na Vila Olímpica. Na imagem, ele participa da cerimônia de abertura da Rio 2016 (Foto: Reprodução Facebook)

Agentes da 42ª DP (Recreio) prenderam mais um boxeador por estupro, também contra uma camareira, dentro da Vila Olímpica, na Zona Oeste. Assim como o caso revelado na semana passada, envolvendo um marroquino que acabou preso, o pugilista da Namíbia, Jonas Junias, de 22 anos, agarrou e beijou uma camareira e propôs relações sexuais com ela mediante pagamento de dinheiro.

Após a abordagem do lutador, a mulher saiu correndo e imediatamente procurou a polícia. O atleta foi levado para a delegacia, autuado, e será encaminhado para o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu.

Com o caso, ele deve ficar fora da Olimpíada, onde lutaria na noite desta quinta-feira com o atleta francês Hassan Anzille, no Pavilhão 6 do Riocentro. Jonas Junias compete pela categoria médio ligeiro e participou da cerimônia de abertura da Rio 2016, na última sexta-feira, quando levou a bandeira de seu país. “Meu país meu orgulho”, escreveu em seu perfil no Facebook, em postagem acompanhada da foto que mostra a sua passagem com a delegação da Namíbia.

Marroquino está preso pelo mesmo crime

Na última sexta-feira, o atleta de boxe marroquino Hassan Saada foi preso acusado de estupro contra duas camareiras que trabalham na Vila dos Atletas. Contra o lutador de 22 anos foi cumprido um mandado de prisão temporária, de 15 dias.

A defesa de Hassan chegou a dar entrada com um habeas corpus, mas o desembargador Wilson do Nascimento Reis negou, na madrugada do sábado, o pedido. O desembargador afirma que não encontrou na prisão de Hassan Saada qualquer irregularidade que justificasse o deferimento do pedido de liberdade.

Em depoimento, as camareiras, ambas de 20 anos, relataram os momentos de pavor dentro do apartamento de Hassan. Uma delas fazia a limpeza da sala quando o marroquino foi em sua direção e fez um gesto de que gostaria de beijá-la. Diante da negativa, ele agarrou a jovem à força, que se desvencilhou do boxeador. Ainda de forma gestual, ele levantou a perna e indicou que queria ter relações sexuais com a funcionária da Vila, além de mostrar que queria ser masturbado e que pagaria por isso.

O Dia

PROCESSO DE MIGRAÇÃO

Diretor regional na Paraíba tira todas as dúvidas sobre abertura de novas contas dos servidores estaduais no Bradesco

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Programa Mensagem de Esperança com Sara Sheyla e Nelson Dantas

A FAVOR DA REFORMA

Empresário diz que Justiça do Trabalho só penalizava os patrões e chama a CLT de ‘excrescência jurídica’

DA REGIÃO DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Do assassinato do pai ao sucesso na política, prefeito conta trajetória de superação no Interview