header top bar

section content

Com remix de clássicos da MPB, Brasil levanta público, mas fica fora da final

Conjunto brasileiro de ginástica rítmica faz apresentação com poucos erros, mas não consegue alcançar as grandes potências.

Por Luzia de Sousa

20/08/2016 às 14h34

Brasileiras foram aplaudidas, mas ficaram fora da competição

Por muito pouco o conjunto brasileiro de ginástica rítmica não conseguiu vaga no seleto grupo das oito melhores seleções dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Com apresentações carregadas de brasilidade, as meninas deixaram o público em êxtase, cometeram poucos erros, sobretudo na segunda apresentação, com três maças e dois arcos, mas não conseguiram atingir pontuação suficiente para disputar a final: 32.649. Elas ficaram na nona colocação, mas certamente com a sensação de que fizeram seu melhor.

Por outro lado, a Espanha foi a grande surpresa deste sábado. Sem a badalação de russas ou bielorrussas, as espanholas também apostaram no ritmo brasileiro e se deram bem. Ao som de “Vidacarnaval”, de Carlinhos Brown, ganharam o público na primeira apresentação. Na segunda, novamente mostraram muita precisão em uma série dificílima e pularam para o primeiro lugar, superando a Rússia e arrancando os aplausos da torcida.

Espanholas surpreenderam na classificatória e fecharam o dia na primeira colocação (Foto: Reuters)

Espanholas surpreenderam na classificatória e fecharam o dia na primeira colocação (Foto: Reuters)

Na fase qualificatória, as 14 seleções se apresentaram em duas rotatórias, primeiro nas cinco fitas e depois na prova de três maças e dois arcos. As oito melhores colocadas se classificaram para a final, que vale medalha, que acontece na manhã deste domingo, a partir das 11h (de Brasília).
CINCO FITAS
Fosse no Maracanã, há duas semanas, a apresentação brasileira na ginástica rítmica bem que serviria como mais um bom elemento para a cerimônia de abertura da Rio 2016. Berimbau na introdução seguido do apito do mestre de bateria de escola de samba e de repente o batuque ritmando o clássico de Ary Barroso, Aquarela do Brasil, na voz de Ivete Sangalo. No tablado, as meninas rodopiando, em movimentos acelerados e cheios de cadência. A prova das cinco fitas levantou o público da Arena Olímpica do Rio. A torcida bateu palmas, sambou e se empolgou com a demonstração de brasilidade do conjunto formado por Emanuelle Lima, Francielly Machado, Gabrielle Moraes, Jéssica Maier e Morgana Gmach.

Apesar de toda animação, as brasileiras cometeram alguns erros de execução e tiveram uma nota abaixo da média delas: 15.766. Normalmente, elas fazem essa rotação na casa dos 16.500. Com o resultado, o Brasil fechou a primeira parte da classificatória em 10° lugar, fora da zona de classificação para a final.

Campeãs olímpicas desde Sidney 2000, as russas fizeram uma apresentação irreverente, com pitadas do ritmo brasileiro usando trechos da música “Samba do Brasil”. A execução dos movimentos foi quase que impecável e elas tiveram a maior nota, fechando a prova das cinco fitas em primeiro, 18.283, bem acima da segunda colocada, a Espanha, que fez 17.783 com uma apresentação também em homenagem ao Brasil, ao som de “Vidacarnaval”. As espanholas foram aplaudidas de pé pelos torcedores brasileiros.

TRÊS MAÇAS E DOIS ARCOS
Mais confiantes e sem o peso da estreia, o rendimento das ginastas do Brasil foi bem melhor na segunda rotação, em que se usa três maças e dois arcos como aparelho. Ainda apostando na brasilidade, elas se apresentaram ao som de um remix que tinha clássicos da MPB como “Tico-Tico no Fubá”, “Brasileirinho” e finalizando com um trecho do Hino Nacional. Foi uma série sem erros e uma boa nota: 16.883, mas não suficiente para coloca-las na final. Na soma das duas séries, o Brasil ficou com 32.649 pontos, na sétima colocação geral entre as 14 seleções.

A Rússia teve uma nota um pouco abaixo do esperado: 17.233, mesmo assim, suficiente para deixa-las na liderança até a apresentação das espanholas, a penúltima do dia. As favoritas ao quinto título olímpico consecutivo foram surpreendidas com mais um show da Espanha, que novamente levantou o público na Arena Olímpica do Rio. Ao ser anunciada a nota de 17.966, o público foi ao delírio.

Neste domingo, a partir das 11h, as oito seleções classificadas voltam ao tablado da Arena Olímpica do Rio para repetirem as séries na luta por medalha. As notas conquistadas neste sábado valeram apenas para a classificação e as oito equipes entram zeradas para a disputa do ouro olímpico.

CLASSIFICAÇÃO FINAL POR EQUIPES
1. Espanha – 35.749
2. Rússia – 35.516
3. Belarus – 35.433
4. Itália – 35.349
5. Japão – 35.149
6. Israel – 34.883
7. Bulgária – 34.182
8. Ucrânia – 33.816
9. Brasil – 32.649
10. Alemanha – 32.400
11. China – 32.133
12. Uzbequistão – 31.166
13. Grécia – 30.416
14. Estados Unidos – 30.224

G1

DETALHES DO JÚRI

VÍDEO: Secretária revela bastidores do julgamento do caso Érika e diz que houve distinção de tratamento

22 DE AGOSTO

VÍDEO: Prefeitura de Cajazeiras corre para conseguir recapear todas as entradas antes do dia da cidade

"RASGARAM A CONSTITUIÇÃO"

VÍDEO: Para o vice-prefeito de Sousa, Lula é um preso político: “A injustiça dói em qualquer um”

TESTEMUNHO AO VIVO

VÍDEO: Pastor sentenciado a 32 anos de prisão diz que foi visitado por Deus na cadeia e saiu em 30 dias