header top bar

section content

Presidente do COI diz que sucesso da Olimpíada do Rio foi ‘um milagre’

Segundo Bach, o sucesso dos Jogos do Rio é "um caso a ser estudado" pela diferença "da opinião da imprensa e da opinião do público" e "entre a percepção e a realidade"

Por Estagiário

15/11/2016 às 16h00 • atualizado em 15/11/2016 às 14h15

© Reuters

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, fez um balanço do ano no esporte olímpico nesta terça-feira. Como não poderia deixar de ser, a Olimpíada do Rio foi bastante comentada pelo dirigente, que voltou a ressaltar o “sucesso” do evento, apesar de todas as dificuldades enfrentadas na organização.

Bach realizou um discurso na Associação dos Comitês Olímpicos Nacionais nesta terça e classificou o êxito da Olimpíada do Rio como “um milagre”. O dirigente levou em consideração a grave crise econômica e política enfrentada pelo País às vésperas do evento e os problemas de infraestrutura, como atrasos e excesso de gastos em algumas praças esportivas.

O presidente do COI lembrou das previsões pessimistas da imprensa mundial sobre o evento, levando em consideração justamente os problemas já citados e o vírus zika, que amedrontou atletas e dirigentes de diversos países. Segundo Bach, o sucesso dos Jogos do Rio é “um caso a ser estudado” pela diferença “da opinião da imprensa e da opinião do público” e “entre a percepção e a realidade”.

Por isso, o alemão fez um balanço bastante positivo do ano do COI. Ele também minimizou o grande escândalo de doping que explodiu no esporte olímpico em 2016, principalmente na Rússia, onde foram confirmadas acusações de um esquema de doping sistemático com participação até do governo.

A investigação e a confirmação de uso de substâncias proibidas por diversos atletas russos fizeram com que o atletismo do país fosse impedido de competir no Rio. A Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) chegou a pedir que o COI suspendesse a Rússia da Olimpíada, mas a entidade preferiu deixar a decisão para as federações de cada esporte.

Nesta terça, Bach revelou que a decisão do COI, apesar de criticada por boa parte da opinião pública na época, foi bastante elogiada pelos líderes nacionais. “Eles apreciaram e entenderam que não tomamos uma decisão política, mas sim uma decisão pelo interesse do esporte. Respeitamos a justiça pelos atletas limpos e os protegemos. Ter este entendimento e apreciação de tantos líderes políticos foi uma confirmação de nossa decisão e um grande encorajamento para todos nós”, afirmou. Com informações do Estadão Conteúdo.

Notícias ao Minuto

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan