header top bar

section content

CPI do Futebol aponta relações entre Del Nero e filho de Lula

Relatório apresentado por Romário, o presidente da comissão, revelou troca de e-mails entre o presidente da CBF e Luís Cláudio Lula da Silva em 2011

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

23/11/2016 às 12h58

Marco Polo Del Nero era presidente da FPF em 2011 (Foto: Silvia Izquierdo/AP)

A CPI do Futebol, presidida pelo senador e ex-jogador Romário, divulgou nesta quarta-feira, em Brasília, um relatório que aponta relações entre o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, e Luís Cláudio Lula da Silva, filho caçula do ex-presidente Lula.

“Existem comunicações que exigem cavadas averiguações, por exemplo entre Marco Polo Del Nero e Luís Claudio Lula da Silva, o ‘Lulinha’, filho do Lula, ex-Presidente da República, sobre negócios envolvendo a ‘LFT’ e a ‘Sport Promotion’”, indica o relatório.

Em um e-mail de 16 de agosto de 2011, Luís Cláudio questiona Del Nero, então vice da CBF e presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), sobre possibilidades de negócios. “Olá, presidente Marco Polo, tudo bem com o senhor? Gostaria de saber se tem alguma novidade com o projeto futebol feminino ou com nossa participação na Federação Paulista. Fico no aguardo. Grato. Luís Claudio Lula da Silva (Lulinha)”, escreveu no e-mail.

No mesmo dia, Del Nero responde: “Já tenho alguma coisa, passe por aqui. Abraços. Marco Polo”. No dia 1.º de setembro daquele ano, Lulinha faria novas propostas de negócios com o atual presidente da CBF. “Já conversei com o pessoal da Sport Promotion e fizemos um rascunho do projeto, gostaria de ir apresentar ao senhor.”

No mesmo e-mail, o filho de Lula completa com outra proposta. “Fora esse assunto, o que o senhor acha de fazermos as placas nos estádios de LED para a Série A, usando máxima tecnologia como é feito na Sul-Americana?”, escreveu. Os dois acertaram de se ver no dia 13 de setembro de 2011.

Luís Cláudio já trabalhou nos quatro grandes clubes da capital paulista, Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Santos, como estagiário em departamentos amadores e auxiliar de preparador físico. Em 2011, o caçula de Lula abriu a própria empresa. Recentemente, um pequeno clube uruguaio desistiu de sua contratação.

Jucá – Mais cedo, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) também apresentou um relatório da CPI do Futebol, bem mais brando, no qual se abstém em relação aos possíveis crimes cometidos por cartolas da CBF e sugere o simples repasse das informações para órgãos investigativos.

A principal motivação de criação da CPI foi a prisão do ex-presidente da CBF José Maria Marin, em maio de 2015, na Suíça, durante operação internacional em um escândalo de corrupção da Fifa. A comissão foi instalada em meados de julho do mesmo ano com o objetivo de investigar a CBF e o Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo, especialmente quanto a possíveis irregularidades em contratos de partidas da seleção brasileira organizadas pela CBF e pela Fifa.

Em seu parecer, Jucá confirma o recebimento de grande número de informações sigilosas e fortes indícios de irregularidades e operações ilícitas que envolvem os ex-presidentes José Maria Marin e Ricardo Teixeira e o presidente Marco Polo Del Nero, assim como entidades ou empresas que compõem a estrutura do futebol brasileiro ou que nela atuam, inclusive do COL.

Ainda assim, o senador defende que não é papel da CPI “centrar-se na apuração de atividades criminosas ou ilícitas, fazendo dessas a motivação única ou maior de seus trabalhos”. Para o senador, o propósito fundamental da comissão é propiciar o avanço da legislação para que as práticas ilícitas não se repitam.

Dessa forma, o senador sugere que as documentações sigilosas sejam repassadas a outros órgãos, como Banco Central, Conselho de Controle de Atividades Financeiras, Ministério Público Federal, Polícia Federal, Receita Federal e a Controladoria Geral da União.

Veja com Estadão Conteúdo

PROCESSO DE MIGRAÇÃO

Diretor regional na Paraíba tira todas as dúvidas sobre abertura de novas contas dos servidores estaduais no Bradesco

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Programa Mensagem de Esperança com Sara Sheyla e Nelson Dantas

A FAVOR DA REFORMA

Empresário diz que Justiça do Trabalho só penalizava os patrões e chama a CLT de ‘excrescência jurídica’

DA REGIÃO DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Do assassinato do pai ao sucesso na política, prefeito conta trajetória de superação no Interview