header top bar

section content

Com seis jogos e nenhum gol, Luis Fabiano volta ao Vasco após preparação física

O efeito suspensivo pode tirar Luis Fabiano do jejum, e há no clube quem aposte suas fichas no reencontro do artilheiro de outrora com as redes.

Por Priscila Belmont

15/04/2017 às 18h08 • atualizado em 15/04/2017 às 16h18

Luis Fabiano ainda não marcou pelo Vasco (Foto: Paulo Fernandes/ vasco/ divulgação)

Famoso por gols e confusões, Luis Fabiano até agora foi destaque com a camisa do Vasco apenas pelo lado negativo de seu currículo: o temperamento. Após a peitada no árbitro Luís Antônio Silva dos Santos que exigiu o suor do departamento jurídico do clube, chegou a hora de retribuir o esforço dos advogados cruz-maltinos que lhe devolveram o sonho de levantar a Taça Rio, domingo, na decisão com o Botafogo, às 16h, no Engenhão.

Já são seis jogos. Nenhum gol. O efeito suspensivo pode tirar Luis Fabiano do jejum, e há no clube quem aposte suas fichas no reencontro do artilheiro de outrora com as redes. A esperança é fundamentada no empenho do camisa 9 nos treinos. Afinal, o gancho pelo estúpido ataque de fúria contra o árbitro no jogo contra o Flamengo, no dia 26 de março, na quarta rodada da Taça Rio, tirou-o de dois jogos até agora, proporcionando-lhe o que a correria da transferência da China para o Brasil havia impossibilitado: o treinamento.

Luis Fabiano não fez pré-temporada no Brasil e ainda busca a melhor forma. Fora do time, dedicando-se apenas aos treinos, o atacante pegou pesado na preparação física nos últimos dias. O que faz o técnico Milton Mendes acreditar num melhor rendimento, principalmente nas finalizações.
Até porque seus substitutos não empolgaram o treinador. Sem o Fabuloso, Milton testou dois substitutos. Contra o Boavista, deu chance a Thalles. E, contra o Flamengo, foi a vez de Murique ter chance.

Time de folga no feriado religioso

Ao contrário do Botafogo, que se divide em duas frentes, com prioridade para a Libertadores, o Vasco deposita todas as suas forças na Taça Rio, apesar da desvalorização sugerida pelo estranho regulamento do Campeonato Estadual. Mesmo assim, o time não treinou ontem.

São Januário amanheceu de portas fechadas. Nem mesmo a bilheteria foi aberta. É tradição no clube, de raiz religiosa, a interrupção das atividades ao longo da Sexta-feira santa.

O técnico Milton Mendes perdeu um dia de trabalho que poderia aumentar a vantagem do Vasco sobre o Botafogo, com parte do time que entrará em campo amanhã bombardeado pelo desgaste do jogo da última quinta-feira, na Colômbia. Mas, hoje, a partir das 9h, o time voltará aos treinos. E os jogadores se concentrarão em seguida.

— É uma tradição. Nesse feriado religioso, não tem trabalho — explicou o gerente de futebol Isaías Tinoco.

Extra

CADASTRAMENTO

VÍDEO: Prazo final para biometria na região de Catolé do Rocha é antecipado, e Justiça alerta eleitores

MITO DA INTERNET

VÍDEO: Fenômeno Gleyfy Brauly bate recorde de audiência no Xeque-Mate e canta sucessos no ‘imbromation’

CALDEIRÃO POLÍTICO

VÍDEO: Aliado releva que dois vereadores de oposição estão rasgando elogios ao prefeito Airton Pires

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe o professor Sérgio Cunha divulgando o IV Open paraibano de Karatê; Confira!