header top bar

section content

Rodízio da Fifa pode colocar China na disputa para sediar Copa de 2030

Além disso, a Ásia conta com uma possível candidatura conjunta de dez países do Sudeste Asiático: Brunei, Camboja, Cingapura, Filipinas, Indonésia, Laos, Malásia, Mianmar, Tailândia e Vietnã

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

06/05/2017 às 09h03 • atualizado em 05/05/2017 às 18h44

Copa do mundo (Foto: Getty Images)

A disputa para sediar a Copa do Mundo de 2030 pode ganhar uma favorita a curto prazo: a China. As informações foram publicadas pelo jornal inglês The Daily Telegraph.

De acordo com o diário, a entidade máxima do futebol mundial deverá assegurar o rodízio de continentes entre os países-sede do torneio, política que havia sido abandonada em 2007. A iniciativa evitava que um mesmo continente recebesse duas vezes o torneio em um período de 12 anos.

Desta forma, em 2026, a Europa – que receberá o torneio na Rússia em 2018 – está descartada, dando força à candidatura conjunta de México, Estados Unidos e Canadá para 2026. A Colômbia também manifestou interesse, 12 anos após a Copa do Mundo de 2014 no Brasil.

Com o rodízio, a Ásia não poderia receber a Copa do Mundo em 2030 – em 2022, o Qatar será sede do torneio. Entretanto, segundo documento publicado pela Fifa na última quarta-feira (3), a política de rotação de continentes pode ser novamente derrubada “caso as circunstâncias assim exijam”.

A China é uma das potenciais candidatas da Ásia a sede da Copa de 2030. Além disso, o continente conta com uma possível candidatura conjunta de dez países do Sudeste Asiático: Brunei, Camboja, Cingapura, Filipinas, Indonésia, Laos, Malásia, Mianmar, Tailândia e Vietnã.

A Conmebol, por sua vez, conta com três possíveis candidatura: Argentina/Uruguai (em homenagem à Copa do Mundo de 1930, disputada em estádios uruguaios), Colômbia e Chile. Na Oceania, Austrália e Nova Zelândia também têm interesse em uma candidatura conjunta.

A Europa disputa a vaga separadamente com Alemanha e Inglaterra. Ao jornal, o presidente da FA (Associação de Futebol da Inglaterra), Martin Glenn, admite que o rodízio continental iria “ajudar” os ingleses, já que colocaria a Europa novamente no período de 12 anos.

Notícias ao Minuto Com informações da Folhapress

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan