header top bar

section content

Confusão generalizada em Naça x SP Crystal acaba sem expulsos; Vídeo

Apesar da troca de empurrões, socos e pontapés entre jogadores e membros das comissões técnicas dos dois times, no intervalo na partida desse domingo, árbitro decide não expulsar ninguém.

Por Priscila Belmont

12/09/2017 às 10h11

Difícil dizer se algum jogador do Nacional de Patos ou do São Paulo Crystal não se envolveu na confusão generalizada que ocorreu no intervalo da partida entre os dois times, na tarde desse domingo. O gramado do José Cavalcanti, em Patos, onde alviverdes e tricolores se enfrentaram pela semifinal da 2ª divisão do Campeonato Paraibano, se transformou em campo de guerra. Empurrões, socos, pontapés, voadoras. Um espetáculo deprimente para quem quisesse assistir. Inclusive o árbitro Roberto Lima e seus assistentes, Tomaz Diniz e Márcio Freire. Mas, apesar de todo o tumulto, no fim das contas, ninguém foi expulso.

Na verdade, Roberto Lima mostrou um cartão vermelho. Aos 49 minutos do primeiro tempo, quando o Nacional de Patos se preparava para cobrar uma falta no campo de ataque, o zagueiro Carlão, do São Paulo Crystal, bateu boca com o árbitro e acabou recebendo o segundo amarelo e sendo expulso. O jogador tricolor saiu de campo, mas ficou no banco de reservas do seu time.

Com a primeira etapa encerrada, o técnico nacionalino, Marcos Nascimento, concedia entrevista a uma rádio. Nesse momento, ele e o zagueiro Carlão, expulso minutos antes, se desentenderam. Trocaram empurrões e, assim, deram início à briga. Entre eles e entre um número incontável de jogadores e membros das comissões técnicas dos dois times. O tumulto durou algum tempo, até que todos fossem separados e descessem para os vestiários.

O curioso mesmo é que, apesar de toda a confusão, a partida seguiu com apenas uma expulsão – a de Carlão, ainda antes do tumulto generalizado. O árbitro Roberto Lima e seus assistentes optaram por não expulsar mais ninguém. A partida seguiu normalmente no segundo tempo e acabou com vitória do Nacional de Patos, de virada, por 2 a 1. Resta saber o que vai ser relatado na súmula, que ainda não foi divulgada pela Federação Paraibana de Futebol (FPF).

O destaque negativo também recai sobre a torcida do Nacional de Patos, que compareceu em bom número às arquibancadas do José Cavalcanti e apoiou o Canário do Sertão com uma bonita festa, mas que, durante a confusão, soltou gritos de “Uh, vai morrer!”. Foi o mau exemplo em campo refletido também nas arquibancadas.

Tumultos à parte, com o resultado de 2 a 1 para o Nacional de Patos nesse que foi o primeiro jogo da semifinal da 2ª divisão, o Canário de Sertão precisa apenas de um empate na partida da volta para chegar à final da competição e, com isso, garantir o acesso à elite do futebol paraibano em 2018. Já o São Paulo precisa vencer por pelo menos dois gols de diferença para conseguir de forma direta a classificação e a vaga na 1ª divisão do próximo ano. Se o Tricolor vencer por apenas um gol de diferença, a disputa vai para as penalidades máximas.

Alviverdes e tricolores voltam a se enfrentar a partir das 20h da próxima quarta-feira, no Estádio Carneirão, em Cruz do Espírito Santo.

Globo Esporte PB

ENTREVISTA

VÍDEO: Com demonstrações ao vivo, fisioterapeuta cajazeirense explica como funciona a Quiropraxia

VÍDEO!

CONTRA MÃO: Aliado do prefeito de Cajazeiras critica políticos de Brasília, mas admite votar em “golpista”

ENTREVISTA

VÍDEO: Líder espírita fala sobre reencarnação, contato com os mortos e suicídio no programa Xeque-Mate

CALDEIRÃO POLÍTICO

VÍDEO: Neguim do Mondrian defende Luciano pra governador e quer fim da reeleição para combater corrupção