header top bar

section content

VÍDEO: Diretor de TV censurado por FPF diz que foi humilhado em estádio de Cajazeiras e questiona: “É porque sou negro?”

"Chegou em tempo de derrubar a porta lá, no 'bicão. Minha esposa chegou chorando em casa'". revelou o profissional de imprensa.

Por Luzia de Sousa

09/01/2018 às 18h18

O diretor da TV online Sertão da Paraíba, com sede em Cajazeiras, Wgleyson Souza lamentou nesta terça-feira (9), a forma truculenta com que foi tratado pelo delegado da Federação Paraibana de Futebol nesse domingo (7), no estádio Perpétuo Correia Lima (Perpetão), durante a transmissão do Campeonato Paraibano 2018. “Ser humano nenhum deveria ser tratado dessa forma”, lamentou o diretor, relembrando que já trabalhou em várias segmentos da imprensa e nunca havia passado por situação semelhante.

Saiba mais!

+ Sindicato dos radialistas, ACI e API emitem nota de repúdio a Federação Paraibana de Futebol por barrar transmissões em Sousa e Cajazeiras

+ CONFUSÃO: Sobre transmissão dos jogos do Campeonato Paraibano, TV Diário do Sertão esclarece em nota

TV da cidade de Sousa emite Nota de Repúdio após ser barrada pela Federação Paraibana de Futebol

+ Associação da Mídia Digital da PB repudia censura e autoritarismo da FPF contra sites e TV’s do Sertão

Wgleyson Souza contou que estava com sua esposa, que também faz parte da equipe, durante a abordagem “grosseira” e humilhante da FPF.  “Chegou em tempo de derrubar a porta lá, no ‘bicão. Minha esposa chegou chorando em casa'”. revelou ele.

Wgleyson Sousa contou que foi humilhado pela FPF

O diretor da TV online revelou que o representante da FPF chegou desligando os seus equipamentos. “Desligaram meu notebook da tomada, e eu fiquei com prejuízo de um hd”, contou Wgleyson.

Ele se disse muito triste com a situação vivida no Perpetão e indagou: “Estamos voltando a Ditadura Militar? Estamos retrocedendo? Que humilhação é essa?”.

Indignado, Wgleyson questionou: “É porque eu sou negro? É porque minha esposa também é negra?”

O diretor da TV relembrou que estava fazendo a transmissão autorizado pela direção do Atlético. “Deu autorização verbal, mas tenho testemunha”.

Para completar, Wgleyson confirmou presença na reunião com a FPF nessa quarta-feira (10), em João Pessoa e desabafou: “Quero dizer que sou negro, mas não sou bandido não”.

DIÁRIO ESPORTIVO

PRIVILÉGIOS JURÍDICOS

VÍDEO: A lei é igual para todos? Programa Xeque-Mate discute foro privilegiado com promotor e advogado

FIM DE SEMANA

Cia de teatro arte tramática apresenta “As Malditas” no Teatro Ica em Cajazeiras

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe o preparador físico do Atlético de Cajazeiras Ivanildo Dunga; Confira!

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Mensagem de Esperança com Dimas Andriola e Sara Samirys