header top bar

section content

Advogado diz que Romário tinha conta na Suíça; senador nega

Surge áudio em que defensor de Nestor Cerveró diz que o ex-jogador foi avisado para tirar seu dinheiro da Europa para não ser preso

Por

26/11/2015 às 09h03

Romário disse que assunto da conta já foi esclarecido pelas autoridades (Foto: Daniel Vorley/Frame

A história da conta do senador Romário na Suíça ganhou um novo capítulo nesta quarta-feira. Após ir até a Europa para provar que não possuía conta lá, depois que uma reportagem da Veja dizia que sim, um áudio de uma conversa de Edson Ribeiro, advogado de Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobrás. Nele, Ribeiro afirma que o ex-jogador tem uma conta no país do Velho Continente. Em nota, Romário voltou a negar.

O áudio em questão é uma conversa entre Edson Ribeiro e o senador Delcídio Amaral, que foi preso nesta quarta-feira junto com o banqueiro André Esteves, CEO do Banco BTG Pactual, em mais uma fase da Operação Lava-Jato. 

O diálogo foi gravado por Bernardo Cerveró, filho de Nestor. Nele, o advogado diz que Romário foi avisado para retirar seu dinheiro da Suíça para não ser preso, e insinua que o ex-jogador teria aceitado apoiar Pedro Paulo, pré-candidato do PMDB à prefeitura do Rio de Janeiro, nas eleições do ano que vem. 

O BTG Pactual, de Esteves, é dono do BSI, banco suíço em que Romário supostamente teria conta, e que emitiu um documento dizendo que o extrato mostrado na reportagem da revista era falso. O elo entre eles é Guilherme da Costa Paes, irmão do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, que é um dos diretores do banco. 

No diálogo, Delcídio narra o encontro que teve com Romário e estranhou a presença do senador ao lado de Paes e Pedro Paulo, já que o apoio do Baixinho é bastante disputado no Rio. O ex-jogador, que teve 4,6 milhões de votos nas eleições de 2014, apareceu com força como um dos possíveis candidatos à disputa da prefeitura. O próprio Delcídio conta que Eduardo revelou o suposto acordo para 2016. O acerto, segundo Ribeiro, teria envolvido a informação da conta na Suíça.

Baixinho se defende

Leia o trecho da conversa:

Delcídio Amaral – Hoje eu estava com a minha agenda toda organizadinha para estar aqui às 13 horas. Para acabar de complicar ainda mais “O Globo” me aparece com Eduardo Paes, com Pedro Paulo, com Romário e com (Senador Ricardo) Ferraço.

ADVOGADO – Fizeram acordo, né?

DELCÍDIO – Diz o Eduardo que fez.

ADVOGADO – Foi Suíça.

DELCÍDIO – Foi Suíça é?

ADVOGADO – Tinha a conta realmente do Romário

DELCÍDIO – Do Romário é?

BERNARDO CERVERÓ – Tinha essa conta é?

DELCÍDIO – Em função disso fizeram o acordo?

ADVOGADO – Tinha dinheiro no banco que foi encontrado. [há um barulho e os presentes dizem ahhh]. Tira, senão você vai preso [mais barulho como se estivesse batendo na mesa].

Pouco tempo depois, Romário se pronunciou por meio de seu Facebook oficial. O senador voltou a negar qualquer conta na Europa e disse que o caso já foi esclarecido pelas autoridades brasileiras e suíças. Ele também explica os encontros que teve com Amaral e que os acusadores irão responder na Justiça pelas inverdades, além de dizer que não é segredo que Eduardo Paes quer seu apoio nas eleições de 2016. Leia o comunicado na íntegra:

Galera, sobrou de novo para mim. Está brabo o negócio.

Encontrei o senador Delcídio Amaral no dia 4 de novembro, quarta-feira, para tratar da votação de um Projeto de Resolução do Senado (PRS 50/2015), do senador José Serra, do qual fui coautor.

Na ocasião, foi feito um pedido ao senador Delcídio Amaral, que preside a Comissão de Assuntos Econômicos, para agilizar a tramitação do projeto, que tinha o senador Ricardo Ferraço como relator.

Participaram da reunião o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, o secretário de Governo, Pedro Paulo, e o senador Ricardo Ferraço. Todos diretamente interessados na aprovação dessa resolução, que propôs o fim de barreiras à cessão de dívida ativa de estados e municípios. Esse foi o teor da reunião.

Hoje chegou à imprensa o áudio de uma conversa do senador Delcídio Amaral e do seu chefe de gabinete com o advogado e o filho do investigado na Operação Lava Jato, ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró.

No áudio, meu nome é citado. E uma história diferente da relatada acima é contada. O advogado levanta suspeita sobre um assunto que já foi esclarecido por mim e pelas autoridades brasileiras e suíças. Aqueles que novamente fazem acusações inverídicas claro que responderão à Justiça. Qual a credibilidade do advogado de um bandido, corrupto e responsável por roubar uma das principais empresas do país?

Não é novidade para ninguém que o prefeito Eduardo Paes tem interesse que eu apoie o seu candidato à sucessão. Não sou responsável pelo que terceiros falam, apenas pelos meus atos. Assim sendo, deixo claro que não tenho nenhum acordo com ninguém e, infelizmente, o dinheiro não é meu. Digo infelizmente porque, com certeza, se fosse meu, seria fruto de muito trabalho honesto.

Band

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe os organizadores do 1º Eco pedal e o garoto prodígio do futebol Luiz Felipe