header top bar

section content

Clubes preferem início do Paraibano de 2016 no dia 31 de janeiro

Reunião da FPF para discutir o Profut acabou virando uma mesa de debate do Estadual do próximo ano, com os clubes rejeitando a antecipação da disputa

Por

22/10/2015 às 10h31

Clubes preferem início do Paraibano de 2016 no dia 31 de janeiro (Foto: Divulgação/FPF)

Todo o esforço da FPF em conseguir furar o calendário da CBF e iniciar o Campeonato Paraibano mais cedo foi por água abaixo na tarde desta quarta-feira. É que os clubes decidiram começar o Estadual de 2016 no dia 31 de janeiro, levando em consideração a economia em uma folha de pagamento.

A reunião de ontem, na sede da Federação, seria apenas para discutir o Profut, a linha de financiamento do Governo Federal para os clubes de futebol. No entanto, o Campeonato Paraibano acabou entrando em pauta, num encontro a portas fechadas pelos dirigentes.
Oito clubes optaram pelo início da competição no dia 31 de janeiro. Apenas Campinense e Auto Esporte votaram a favor do começo do Estadual ser no dia 17 de janeiro.

Sem querer demonstrar decepção, o presidente da FPF, Amadeu Rodrigues, acatou a vontade da maioria e confirmou o início do campeonato para o dia 31.

– Os clubes optaram por isso. Agora vamos convocar uma outra reunião para discutir a fórmula. Lembrando que o campeonato não pode passar do dia 8 de maio, que é a data-limite determinada pela CBF, garantiu o dirigente.

Com o calendário novamente apertado, restam poucas opções de regulamento. Na própria reunião desta quarta-feira, alguns dirigentes anteciparam suas propostas. O CSP, por exemplo, quer o campeonato por pontos corridos, em jogos de ida e volta, com o time que fizer mais pontos sendo o campeão após 18 rodadas.

Botafogo e Sousa defenderam fórmulas idênticas: dois grupos de cinco, com os três primeiros passando para o mata-mata. A diferença é que o Belo defende chaves regionalizadas, enquanto o Dinossauro quer um sorteio dirigido com os dez clubes. 
Campinense e Auto foram votos vencidos

Os únicos dois clubes que defenderam o início do Paraibano no dia 17 de janeiro têm razões diferentes para isso. O Campinense acredita que terá prejuízo com o campeonato atrasando em mais duas semanas, enquanto o Auto Esporte vê a impossibilidade de se adotar um regulamento atraente com poucas datas.

William Simões, presidente rubro-negro, lembrou que o seu clube é o único até aqui que já tem um elenco montado. Com isso, acredita que será prejudicado com o retardamento da disputa
– Já temos time, mas não temos onde jogar. Acredito que o Campinense foi o maior prejudicado com esse campeonato começando apenas no dia 31, discursou.

Já Watteau Rodrigues, presidente do Auto, defende a manutenção da fórmula deste ano, com 24 datas. E isso só seria possível, na sua opinião, com o certame começando mais cedo.
– O Auto defende essa fórmula (de 2015), mas agora vai ser praticamente impossível. Ainda mais com a determinação de se acabar tudo no dia 8 de maio, destacou.

Representando o Botafogo, Guilherme Novinho justificou a posição do clube por um suposto alinhamento com o calendário da CBF. Mas admitiu que a situação financeira também pesou na decisão da maioria dos clubes em começar o Estadual no dia 31 de janeiro.

– Isso significa uma folha a menos para todo mundo. Todos também ganharam mais tempo para montar seus times. O Botafogo defende a mesma coisa que defendeu este ano: que seja cumprido o calendário da CBF, argumentou o presidente do Belo.

GE

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa com a participação dos membros da Igreja Rei dos Reis

CADASTRAMENTO

VÍDEO: Prazo final para biometria na região de Catolé do Rocha é antecipado, e Justiça alerta eleitores

MITO DA INTERNET

VÍDEO: Fenômeno Gleyfy Brauly bate recorde de audiência no Xeque-Mate e canta sucessos no ‘imbromation’

CALDEIRÃO POLÍTICO

VÍDEO: Aliado releva que dois vereadores de oposição estão rasgando elogios ao prefeito Airton Pires