header top bar

section content

Vasco quer nova capacidade para receber Corinthians em São Januário

Diretoria corre para atender exigências de bombeiros para ter mais de 20 mil pessoas no estádio contra o líder: "Vamos nos preparar para isso", diz vice de patrimônio

Por

21/10/2015 às 07h30

Vasco não atua em São Januário desde o dia 27 de julho (Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br)

Faz tempo. E a última experiência não foi lá das mais animadoras – com a derrota por goleada de 4 a 1 para o Palmeiras. Mas o Vasco quer, enfim, voltar para casa. O palco para o dia 18 de novembro, para o duelo contra o Corinthians, líder com folga do Brasileiro, não será o Maracanã – que recebe show do Pearl Jam dia 22 – nem deve ser o Engenhão – que terá Vasco x Fluminense no dia 1º de novembro -, mas de novo o caldeirão de São Januário. O departamento de patrimônio providencia ajustes para atender exigências dos bombeiros e ampliar um pouco a capacidade do estádio. O último laudo, de julho deste ano, havia diminuído de 19 mil para exatos 15.311 lugares. A expectativa da diretoria vascaína é pleitear receber mais de 20 mil pessoas com nova inspeção do Corpo de Bombeiros.

– É uma chance grande (ter Vasco x Corinthians em São Januário). Vamos nos preparar para isso – diz o vice-presidente de obras de engenharia e patrimônio, André Luiz Vieira Afonso.

Alguns dos ajustes necessários já estão prontos ou em andamento. A nova divisória de torcidas móvel está com trilho e já colocada na arquibancada do Vasco – assim como as novas bilheterias, que foram deslocadas com as obras do campo anexo e do Caprres. 

Ainda faltam "ajustes finos", como define o dirigente do Vasco, em alguns acessos, além de outra intervenção fundamental: colocar tapumes nas obras em andamento para isolar a área. Além dos bombeiros, o Grupamento Especial de Policiamento em Estádios também deve ser chamado para conferir o andamento das obras em São Januário às vésperas do jogo. 

– Eles vão ter que isolar bem aquele local, para não ter como um torcedor ter acesso. Isolando de forma responsável, não há problema – afirma o major Silvio Luis, comandante do Gepe.

A palavra final será do presidente Eurico Miranda, mas correntes que defendem há tempos o retorno dos jogos do Vasco para São Januário já veem o retorno como certo – Eurico, que sempre foi crítico ferrenho de transferências de partidas do Vasco para outros locais, argumentou à época questões de segurança e rixas entre torcidas organizadas para tirar os jogos do estádio vascaíno. O último jogo do Vasco em São Januário foi contra o Palmeiras, derrota por 4 a 1 no dia 27 de julho. Depois, foram nove partidas disputadas no Maracanã. 

– Vamos tentar chegar a 20 mil, 24 mil pessoas, cumprindo todas exigências, pedindo nova vistoria. Temos um mês pela frente. Mas a decisão final será do presidente – lembra André Luiz.

GE

'AULÃO SOLIDÁRIO'

VÍDEO: Ordem DeMolay de Cajazeiras promove aulão gratuito preparatório para o ENEM; veja como participar

ENTRETENIMENTO

Maria Calado na TV com os integrantes do espetáculo “Trinca mas não quebra” e o cantor Lucas Soares

ALÍVIO

VÍDEO: Presidente da OAB de Cajazeiras afirma que a Comarca de Bonito de Santa Fé não será mais fechada

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa com a participação dos membros da Igreja Rei dos Reis