header top bar

section content

Lutadora abre mão de seios grandes para melhor desempenho. “Ótimo dia de bunda!”

Quando estou bem magra, penso, "Bom dia de abdômen!" Estou feliz do jeito que eu estiver. Disse Ronda Rousey

Por

15/10/2015 às 13h29

Quer ser feliz e não se estressar com seu peso? Esqueça a balança e se importe apenas com como você se enxerga, e veja os lados positivos de cada fase de seu corpo. Essas são as dicas de Ronda Rousey, atual campeã do peso-galo do UFC e "embaixadora" do movimento pela liberdade corporal das mulheres. 

– Não olho para a balança nunca, a não ser que tenha de conquistar algo. Eu olho aos números para conseguir um objetivo específico, porque vou lutar neste peso em tal dia. Mas não tentaria ficar abaixo de 61kg se não fosse parte do meu emprego. Não sentiria necessidade de conferir se estava sempre ali. O que eu vejo é meu reflexo, não um número.
 
Ronda perde bastante peso para suas lutas, cerca de 7kg, a maior parte através de desidratação. Com isso, seu aspecto físico flutua junto. Ela explicou que mudanças percebe no seu corpo e como encara isso.
 
– Você ganha aqui e perde ali. Se eu estou bem magra, eu tenho abdômen, mas você ou tem abdômen, ou tem seios. Você tem que escolher. É por isso que não há "peitinhos" nas Olimpíadas. Você precisa escolher. Há prós e contras em cada fase do meu corpo e aprendi a apreciar todas elas. Quando estou mais pesada, é quando minha bunda está ótima, então penso, "Ótimo dia de bunda!" E quando estou bem magra, penso, "Bom dia de abdômen!" Estou feliz do jeito que eu estiver.

GLOBO ESPORTE

PROCESSO DE MIGRAÇÃO

Diretor regional na Paraíba tira todas as dúvidas sobre abertura de novas contas dos servidores estaduais no Bradesco

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Programa Mensagem de Esperança com Sara Sheyla e Nelson Dantas

A FAVOR DA REFORMA

Empresário diz que Justiça do Trabalho só penalizava os patrões e chama a CLT de ‘excrescência jurídica’

DA REGIÃO DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Do assassinato do pai ao sucesso na política, prefeito conta trajetória de superação no Interview