header top bar

section content

FPF entra com “recurso voluntário” e pede punição ao Atlético-PB no TJD

Federação Paraibana alega "dever de ofício" para voltar a denunciar o clube por duas irregularidades em escalações de jogadores. Trovão Azul pode ser rebaixado

Por

17/07/2015 às 16h15

Sede da Federação Paraibana de Futebol (Foto: Phelipe Caldas / GloboEsporte.com/pb)

Um recurso impetrado nesta quarta-feira pela Federação Paraibana de Futebol pede ao Tribunal de Justiça Desportiva da Paraíba que reveja sua decisão de arquivar um processo contra o Atlético de Cajazeiras e volte a analisar o caso. O pedido causa estranhamento porque é movido pela FPF contra um de seus clubes associados, depois que uma ação inicial já tinha sido arquivada. Mas a Federação argumenta que faz isto por “dever de ofício”.

A FPF, no caso, questiona os motivos que levaram o TJD arquivar o processo contra o Atlético de Cajazeiras. E num “recurso voluntário” pede sua abertura. O caso específico em que pode tirar pontos do clube sertanejo, o que culminaria no seu rebaixamento para a segunda divisão estadual, no que consequentemente salvaria o Lucena (nono lugar da competição e que foi rebaixado na última das vagas).

Segundo o recurso da FPF, existem provas concretas de que o Atlético de Cajazeiras escalou dois jogadores de forma irregulares: Alisson em jogo contra o Botafogo-PB e Marquelino em jogo contra o Auto Esporte.

No documento, a FPF cita nominalmente o parecer do procurador Tiago Sobral Pereira Filho, que arquivava a ação. E pede para que o Tribunal reveja a medida e reabra a ação. O parecer de Tiago manda arquivar o processo por entender que houve desrespeito ao prazo para recursos, mas o TJD diz que se tratou de uma “denúncia de ofício”, e que por isto não obedece aos mesmos prazos de recursos regulares. Por fim, a FPF no que diz respeito ao mérito da questão pede o “provimento do recurso”, que resultaria na punição contra o Atlético. 

Originalmente, o Lucena tinha entrado com uma ação contra o Atlético-PB, alegando que o lateral-direito Marquelino, o zagueiro Alisson e o volante Fabinho Vitória tinha jogado de forma irregular contra o Santa Cruz-PB. Nesta primeira ação, contudo, o caso foi arquivado por causa de erros processuais.

Depois, a Federação Paraibana de Futebol abriu uma nova ação, com questionamentos parecidos à ação original. Após análises internas, a FPF declarou que Fabinho Vitória não tinha jogado de forma irregular, mas confirmava os problemas em Alisso e em Marquelino. A ação da FPF foi arquivada pela 2ª Comissão Disciplinar e depois pelo presidente do TJD, atendendo o parecer de Tiago Sobral. Este novo recurso da FPF é questionando justamente este último arquivamento. 

GE

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan