header top bar

section content

Com Neymar espectador, Brasil vence Venezuela e avança na Copa América

A passagem em primeiro lugar do grupo C começou a ser garantida a partir de escanteio cobrado por Robinho e finalização de primeira de Thiago Silva, na marca do pênalti, aos oito minutos

Por

22/06/2015 às 09h20

Jogadores comemoram após o Brasil abrir o placar diante da Venezuela (Foto: Getty Images)

Não teve Neymar. Não teve drama. Não teve jogo de compadre. Em sua primeira 'decisão' pós-7 a 1, a seleção brasileira conseguiu se virar sem a sua principal estrela, encaminhou a vitória de 2 a 1 sobre a Venezuela logo no início, neste domingo, e assegurou a classificação para as quartas de final da Copa América, contra o Paraguai, no próximo sábado, às 18h30 (de Brasília), em Concepción.

O time comandado por Dunga segue em Santiago até a viagem na quinta-feira à noite para a partida.

A passagem em primeiro lugar do grupo C começou a ser garantida a partir de escanteio cobrado por Robinho e finalização de primeira de Thiago Silva, na marca do pênalti, aos oito minutos.

Um golaço.

Na comemoração, o zagueiro do Paris Saint-Germain apontou para um espaço reservado nas arquibancadas, em que se encontrava Neymar, suspenso por quatro jogos após confusão contra a Colômbia e cujo recurso para reduzir a pena deverá ser definido na próxima terça-feira.

No retorno do intervalo, aos seis minutos, Roberto Firmino completou lindo de passe de Willian e fechou a conta. Foi o quarto gol do jogador do Hoffenheim com a camisa canarinha. Miku descontou para os adversários aos 38, pegando rebote de Jefferson.

Na ausência do craque do Barcelona, a braçadeira de capitão ficou com o zagueiro Miranda.

Essa não foi a única mudança de Dunga para o confronto: o comandante tetracampeão mundial barrou Fred, que ñao vinha agradando, para a entrada do veterano Robinho e se decidiu por Philippe Coutinho para o lugar de Neymar. Funcionou em parte.

Um dos homens de confiança da comissão técnica, o destaque do Santos foi a principal alternativa para saída ao ataque e chamava o jogo a todo o momento. As suas arrancadas representaram um suspiro de talento dentro de um time que não teve na criatividade mais uma vez o seu ponto forte.

Faltou Willian. Faltou Coutinho. Faltou Firmino.

Foram apenas três finalizações com perigo no primeiro tempo, com Filipe Luis, Robinho e Willian. A Venezuela assustou apenas uma vez em cruzamento fechado do lateral-esquerdo Cichero.

O jogo seguiu em marcha lenta na volta do vestiário.

Com o segundo gol com Firmino, o Brasil teve até mais espaço para atacar, porém, esbarrou na lentidão na troca de passes e viu os venezuelanos pressionarem e quase arrancarem o empate nos últimos minutos.

Ainda deu tempo de testar David Luiz como volante, Marquinhos na lateral-direita e Daniel Alves mais avançado.

O público total no Monumental foi de 33.284 mil pessoas.

O resultado manteve a seleção na liderança, com seis pontos, mandou a Venezuela mais cedo para casa e ainda classificou no grupo C o Peru, em segundo lugar, para pegar a Bolívia e a Colômbia, em terceiro, para enfrentar a Argentina na próxima fase da Copa América.

MSN

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan