header top bar

section content

Até no futebol: Executivos da FIFA são presos acusados de corrupção

Segundo as autoridades suíças, os seis dirigentes são suspeitos de aceitar suborno de milhões de dólares desde os anos 90

Por

27/05/2015 às 07h45

Entidade convocou uma coletiva de imprensa para explicar o caso Foto: Fabrice Coffrini/AFP

A Polícia da Suíça confirmou até o momento a prisão de sete executivos da FIFA a pedido do Departamento de Justiça norte-american. Entre os detentos está José Maria Marin, ex-presidente da CBF e Governador do Estado de São Paulo.

Os sete réus acusados a pedido dos Estados Unidos são: Jeffrey Webb (presidente da Concacaf), José Maria Marin, Eugenio Figueiredo, Rafael Esquivel, Eduardo Li, Julio Rocha e Costa Takkas.

Eles são acusados de integrar um esquema de corrupção, lavagem de dinheiro e pagamento de propina, que desde a década de 90 teria movimentado – pelo menos – US$ 100 milhões.

Os presos deverão ser extraditados para os Estados Unidos, onde responderão criminalmente.

Além disso, um mandado de busca foi executado numa sede da CONCACAF (Confederação das Américas do Norte e Central) em Miami.

Joseph Blatter, atual presidente da Fifa, não está entre os acusados, segundo o porta-voz da federação.

Os executivos seriam responsáveis por receber e repassar dinheiro ilegal para fechar contratos de marketing, patrocínio e competições.

As Copas de 2018 e 2022, na Rússia e Qatar, estão sob suspeita, assim como torneios na América Latina.

Os executivos da FIFA estão reunidos em Zurique para a eleição da entidade, que tem como favorito Blatter, atualmente no quarto mandato de presidente.

Band

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe os organizadores do 1º Eco pedal e o garoto prodígio do futebol Luiz Felipe

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Programa Mensagem de Esperança com Maria Vitória e Rodrigo Almeida 11.08.2017

INTERVIEW

Educadora fala da infância difícil e sua trajetória de sucesso: ‘Faltava dinheiro, mas não alegria’