header top bar

section content

Auxiliar acusado de injúria racial é afastado da fase final do Paraibano

Sousa Júnior deixa de trabalhar em jogos oficiais até que os "fatos sejam devidamente apurados". Decisão foi confirmada pela Federação Paraibana de Futebol

Por

26/05/2015 às 07h45

Amadeu Rodrigues e José Renato decidem afastar Sousa Júnior (Foto: Divulgação / FPF)

A Federação Paraibana de Futebol afastou por tempo indeterminado o auxiliar de arbitragem Sousa Júnior, que foi acusado na semana passada de ter cometido um ato de injúria racial contra o lateral-esquerdo Panda, do Treze. A decisão foi tomada na tarde desta segunda-feira, após uma reunião realizada entre o presidente da FPF, Amadeu Rodrigues; e o presidente da Comissão Estadual de Arbitragem, José Renato.

Segundo nota publicada pela Federação Paraibana, o auxiliar não vai mais ser escalado para jogos oficiais até que “os fatos sejam devidamente apurados”.

O incidente aconteceu na última quarta-feira, em jogo realizado no Estádio Almeidão, em João Pessoa, durante jogo entre Botafogo-PB e Treze pela fase final do Campeonato Paraibano. Ainda com bola rolando, Sousa Júnior teria se referido ao atleta como sendo uma “porra preta”, o que provocou a ira inclusive de jogadores botafoguenses.

Ao término da partida, atletas como Guto e Zaquel, ambos do Belo, foram tomar satisfação com o auxiliar de arbitragem, criticando-o pelo suposto ato e mandando ao menos ele pedir desculpas. O gerente de futebol do Treze, Joba Barbosa, foi outro quem disse que escutou a injúria racial, classificando na época o caso como “lamentável”.

Sousa Júnior negou a agressão verbal. Até admitiu que chamou o jogador de “negão”, mas disse que foi mal interpretado em suas intenções. Disse ainda que ele e Panda eram amigos, e que só tinha feito aquilo por causa da intimidade entre ambos.

Panda negou qualquer amizade com Sousa Júnior. Ponderou que não escutou os xingamentos. Mas ao mesmo tempo criticou Sousa Júnior:

– Não sou amigo dele. Talvez ele disse mesmo alguma coisa e depois se arrependeu. Está com a consciência pesada – declarou no dia do jogo, após a confusão.

Dois dias depois do duelo, o Treze se posicionou oficialmente. Por meio de nota, o clube repudiou a "prática de injúria racial ou qualquer outro tipo de preconceito" e agradeceu a atitude dos jogadores do Belo, que defenderam o atleta trezeano.

GE

A FAVOR DA REFORMA

Empresário diz que Justiça do Trabalho só penalizava os patrões e chama a CLT de ‘excrescência jurídica’

DA REGIÃO DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Do assassinato do pai ao sucesso na política, prefeito conta trajetória de superação no Interview

'AULÃO SOLIDÁRIO'

VÍDEO: Ordem DeMolay de Cajazeiras promove aulão gratuito preparatório para o ENEM; veja como participar

ENTRETENIMENTO

Maria Calado na TV com os integrantes do espetáculo “Trinca mas não quebra” e o cantor Lucas Soares