header top bar

section content

Classificação do Palmeiras à final nos pênaltis é marcada por ousadia e irritação

A vitória do Verdão por 6 a 5 nos pênaltis após empate por 2 a 2 no tempo normal foi sofrida, mas retratou uma ousadia mostrada desde os primeiros minutos

Por

20/04/2015 às 09h00

Que clássico! Corinthians e Palmeiras se enfrentaram na arena do Timão pela semifinal do Campeonato Paulista, uma partida com todos os ingredientes de uma decisão entre dois grandes clubes. A vitória do Verdão por 6 a 5 nos pênaltis após empate por 2 a 2 no tempo normal foi sofrida, mas retratou uma ousadia mostrada desde os primeiros minutos, quando Rafael Marques tentou encobrir o goleiro Cássio e recebeu um "não" como resposta.

O goleiro do Corinthians ainda brilharia no segundo tempo ao impedir gol de Dudu. Fernando Prass também brilhou. E o dérbi ainda viu cobrança de lateral para fora, um erro infantil da arbitragem, o sangue de Victor Ramos, o nervosismo de Mendoza, a mordida de Fagner, a presença de Guerrero e o novo lançamento de Valdivia: o cumprimento no vácuo.

Rafael Marques foi abusado. Em contra-ataque do Palmeiras, ele tentou encobrir o gigantesco Cássio do campo de defesa. O goleiro do Corinthians voltou tranquilamente para dentro da área, encaixou e fez sinal de negativo com a mão para o atacante adversário: aqui não!

Mendoza travou jogada do Palmeiras pelo lado esquerdo do ataque e jogou a bola pela lateral. Wellington bateu… pra fora? Sim. O zagueiro improvisado tentou lançar dentro da área, mas errou o cálculo em uma jogada rara e inusitada.

O árbitro Thiago Duarte Peixoto ignorou que o volante Gabriel sairia em ótima condição de contra-ataque e marcou falta de Bruno Henrique em Dudu. Sem a vantagem, os palmeirenses reclamaram demais, do técnico Oswaldo de Oliveira aos jogadores.

Victor Ramos disputou bola com Vagner Love e acabou cabeceando o cotovelo do atacante do Corinthians. Não houve agressão, mas o zagueiro palmeirense ficou com o rosto sangrando.

Antes de fazer o gol, o colombiano Mendoza estava nervoso no primeiro tempo. Primeiro, se estranhou com Arouca, com pressa para bater o escanteio. Logo depois, com Gabriel. Os companheiros separaram rapidamente, antes que o clima esquentasse ainda mais.

Que momento para Fagner. Fez falta em Dudu, levou cartão amarelo e ainda deu uma de Luis Suárez: distribuiu uma mordida. Só que a vítima foi a bola. O lateral corintiano ficou irritado com a marcação do árbitro.

Guerrero passou seis dias internado na semana passada, vítima de dengue. No último domingo, porém, foi à Arena Corinthians com a namorada Alondra García-Miró. No intervalo da partida, foi saudado pelos torcedores. Ele só deve voltar a jogar no mata-mata da Libertadores.

Mendoza recebeu lindo passe de Danilo, deu lindo corte em Victor Ramos, e quando faria um lindo gol, pensou: e agora, chuto de perna direita? Sem confiança, o canhoto hesitou e permitiu a recuperação da defesa do Palmeiras, que afastou.

Cleiton Xavier achou Dudu na área, sozinho, sozinho… O atacante do Palmeiras até bateu bem, mas Cássio fez uma defesa espetacular, no chão, e espalmou a bola para a trave 

Fagner acertou belo cruzamento para Vagner Love, que cabeceou para o gol e parou em Fernando Prass. O goleiro quase passou da bola, mas conseguiu se recuperar.

Valdivia foi substituído por Gabriel Jesus e nem deu bola para a tentativa do técnico Oswaldo de Oliveira de cumprimentar seu camisa 10. "Val, Val…", chamou o comandante. O chileno, porém, em uma de suas especialidades, deixou o professor no vácuo.

GE

A FAVOR DA REFORMA

Empresário diz que Justiça do Trabalho só penalizava os patrões e chama a CLT de ‘excrescência jurídica’

DA REGIÃO DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Do assassinato do pai ao sucesso na política, prefeito conta trajetória de superação no Interview

'AULÃO SOLIDÁRIO'

VÍDEO: Ordem DeMolay de Cajazeiras promove aulão gratuito preparatório para o ENEM; veja como participar

ENTRETENIMENTO

Maria Calado na TV com os integrantes do espetáculo “Trinca mas não quebra” e o cantor Lucas Soares