header top bar

section content

“Vai ser uma choradeira danada”. Diz jogador que vestiu a camisa do Flamengo por 10 anos

Sétimo jogador que mais vestiu a camisa do Flamengo, lateral-direito se despede do clube diante da torcida no Maracanã

Por

04/03/2015 às 07h20

Com os olhos marejados, Léo Moura olha para o céu na última coletiva no Ninho (Foto: Gilvan de So

Em uma época em que os andarilhos ficam cada vez mais comuns no futebol, aqueles que trocam de camisa como trocam de roupa, é de se valorizar alguém que consiga ficar uma década sob um mesmo teto. Mais ainda por esse teto envolver a maior torcida do Brasil.

No Flamengo, Léo Moura conseguiu esse feito, ironicamente após rodar por quase 10 clubes em poucos anos de carreira. Torcedor do Rubro-Negro desde pequeno, botou o coração na ponta da chuteira para defender as cores do time. E foi lá, com uma longa trajetória de sucesso, que ele conquistou não só seu primeiro título como profissional, mas todos: um Campeonato Brasileiro (2009), duas vezes a Copa do Brasil (2006 e 2013) e cinco Cariocas (2007, 2008, 2009, 2011 e 2014).

No entanto, chegou a hora do adeus. Após 10 anos, Léo está de saída para o Fort Lauderdale Strikers, dos EUA, por um projeto de vida, como ele mesmo diz. Como justa homenagem, o Flamengo preparou um amistoso de despedida para esta quarta-feira, às 22h (de Brasília), com o Nacional, do Uruguai. É o capítulo final de uma bela história construída com a camisa 2. É o fim do ciclo do sétimo jogador que mais vestiu a camisa rubro-negra na história, com 518 apresentações. Que sai, mas que certamente continuará acompanhando o time de coração, agora como torcedor, esteja onde estiver. Por tudo isso, a choradeira é certa, segundo ele.

– Vai ser uma choradeira danada. Sei que os torcedores que fizerem esse esforço de estar naquele momento, e os outros que também não puderem e vão acompanhar da televisão, sei que vão torcer por um atleta que se doou e foi vencedor. Vai ser uma emoção difícil de segurar. Mas também não seguro. Se tiver que chorar, vamos chorar, porque vai ser de alegria e felicidade – afirmou o capitão.

O amistoso é festivo, porém, servirá para Vanderlei Luxemburgo preparar a equipe de olho na próxima rodada do Carioca, no sábado, quando o Fla encara o Friburguense. A volta de dois jogadores importantes casou com a despedida de Léo Moura. Recuperados de lesão, Paulinho e Anderson Pico foram relacionados para a partida e devem entrar para ganhar ritmo, uma vez que serão permitidas 11 substituições. O treinador deve usar o time titular no primeiro tempo e os reservas no segundo. A braçadeira de capitão, claro, será de Léo mais uma vez, assim como a lateral direita – Pará deve começar improvisado na esquerda.

Envolvido com a disputa do Torneio Clausura do Uruguai, o Nacional mandou ao Brasil uma equipe mista, formada por diversos atletas jovens. Os dois principais jogadores serão poupados: o meio-campo Recoba e o atacante Loco Abreu, ídolo da torcida do Botafogo, nem viajaram para o Rio, além do técnico Álvaro Gutiérrez, que ficou em Montevidéu preparando o time principal para o jogo contra o El Tanque Sisley. A equipe será comandada por Juan Carlos Blanco, secretário esportivo do Nacional.

 

Globo Esporte

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan