header top bar

section content

Membro de torcida organizada do Treze é morto a tiros em Campina

Jovem de apenas 14 anos foi assassinado com três tiros no final da tarde desta sexta-feira. Sogro diz que ele vinha sendo ameaçado de morte por membros de 'torcida rival'

Por

19/04/2014 às 08h13

Membro de torcida organizada do Treze, foi assassinado com três tiros /Foto: Reprodução / TV Para

As brigas envolvendo torcidas organizadas deixaram mais uma vítima em Campina Grande nesta sexta-feira. Um adolescente de apenas 14 anos, que fazia parte de uma torcida organizada do Treze, da qual usava uma camiseta no momento do crime, foi assassinado com três tiros no bairro de Santa Rosa. Segundo o sogro da vítima, Lucinaldo Pereira, ele vinha sofrendo ameaças de morte constantes, supostamente por membros de uma torcida rival, do Campinense.

– Era um rapaz trabalhador, mas tinha envolvimento com esse negócio de torcida. O problema é que ele era torcedor do Galo e o pessoal da Raposa não gostava dele. Já muitas vezes ele era ameaçado de morte. Disseram que quando ele aparecesse lá no Pedegral (outro bairro de Campina) iriam matar ele – disse Lucinaldo.

Apesar da afirmação feita pelo sogro da vítima, a Polícia Militar disse que ainda é muito prematuro afirmar que a morte do adolescente foi realmente ocasionada por desentendimentos entre as torcidas organizadas de Treze e Campinense.

– Ainda é muito prematuro a gente afirmar que esse crime foi motivado por isso (briga de torcidas). Mas a Polícia vai trabalhar com todas as possibilidades existentes para colocar o assassino no seu devido lugar – comentou o cabo Gizivaldo Gomes, policial responsável pelo atendimento da ocorrência.

Histórico de violência com torcidas organizadas em Campina Grande

Caso fique confirmada que a morte do menor foi mesmo motivada por briga de torcidas, ele será a quarta vítima dos confrontos no espaço de um ano em Campina Grande. Todos os torcedores faziam parte da Torcida Jovem do Galo  (TJG)

Antes dele, o presidente da TJG, Jeferson da Costa Silva morreu após passar 20 dias internado após ser atingido por um disparo na cabeça. Antes disso, em março de 2013, o então presidente da Jovem do Galo, Wagner Albuquerque, de 22 anos, foi encontrado morto no Bairro da Glória, em Campina Grande. Segundo informações da PM, Wagner vinha recebendo ameaças antes de ser encontrado morto na Avenida Santo Antônio, quando voltava do trabalho.

Já em julho do ano passado, outro integrante da Torcida Jovem do Galo foi morto a tiros em Campina Grande. Johnny Almeida, de 19 anos, foi assassinado com um tiro a queima roupa em uma área que, segundo a Polícia Militar, é conhecida por servir de ponto de venda de drogas. Meses antes, Johnny Almeida e Jeferson Silva tinham sido presos por porte ilegal de armas e confessaram à polícia que iriam "matar um desafeto rival".

Fonte: Globo Esporte

Tags:
PROGRAMA XEQUE-MATE

VÍDEO: Garotinha de Cajazeiras que não tem os membros dá lição de vida e emociona com sua história

VÍDEO

Historiador diz não ‘concordar’ com mudança na data comemorativa de emancipação política de Cajazeiras

DETALHES DO JÚRI

VÍDEO: Secretária revela bastidores do julgamento do caso Érika e diz que houve distinção de tratamento

22 DE AGOSTO

VÍDEO: Prefeitura de Cajazeiras corre para conseguir recapear todas as entradas antes do dia da cidade