header top bar

section content

Punida no STJD, Portuguesa é rebaixada e salva Fluminense. Confira!

A decisão da 1ª Comissão Disciplinar, no entanto, ainda não é definitiva e a Portuguesa pode entrar com recurso em segunda instância

Por

17/12/2013 às 12h31

A bola parou de rolar no Campeonato Brasileiro de 2013 no último dia 8, mas fora de campo ele continua sendo disputado, agora nos tribunais. Nesta segunda-feira, a 1ª Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) decidiu por unanimidade pelo rebaixamento da Portuguesa à Série B, após a escalação irregular do meia Héverton no confronto da última rodada diante do Grêmio. Melhor para o Fluminense, que, com a perda de quatro pontos do clube paulista, se livrou da queda e segue na elite do futebol nacional. A Portuguesa ainda terá que pagar uma multa de R$ 1000.    

A decisão da 1ª Comissão Disciplinar, no entanto, ainda não é definitiva e a Portuguesa pode entrar com recurso em segunda instância, no Pleno do STJD. De acordo com o procurador-geral do tribunal, Paulo Schmitt, o caso deverá estar resolvido até o próximo dia 27. O clube paulista, no entanto, já confirmou que entrará na Justiça comum caso seja realmente rebaixado.

Para não sofrer qualquer punição da Fifa, que é contra levar casos esportivos à Justiça comum, o presidente da Portuguesa, Manoel da Lupa, admite a possibilidade de recorrer a "torcedores ilustres". "Tem que preservar o resultado de campo. Se a Portuguesa for derrotada, vai parar na Justiça comum. Nem que seja ação de alguns dos nossos torcedores ilustres. Mas a Portuguesa vai até o inferno para se defender."

A escalação irregular de Héverton aconteceu no dia 8 de dezembro, na última rodada do Brasileirão. Diante do Grêmio, no Canindé, o jogador entrou em campo aos 32 minutos do segundo tempo, apesar de estar suspenso. Ele havia sido expulso contra o Bahia, no dia 24 de novembro, e cumprido um jogo de gancho diante da Ponte Preta, no dia 1.º de dezembro. Julgado no STJD na sexta-feira, dia 6, no entanto, acabou condenado a dois jogos de suspensão.

De nada adiantaram os protestos dos torcedores da Portuguesa, que estiveram representados por cerca de cem pessoas na Avenida Paulista, no último domingo, em São Paulo, e foram para frente da sede do STJD nesta segunda-feira, no Rio, manifestar sua indignação com a situação. Torcedores do Fluminense também estiveram no local, requisitando o direito do clube de permanecer na Série A. Para evitar maiores problemas, houve reforço na segurança.

No julgamento, os representantes da Portuguesa alegaram que não tiveram contato com o advogado do clube, Osvaldo Sestário, que estava no julgamento de Héverton, e que esperavam saber a situação do jogador através do site da CBF. Segundo eles, não havia qualquer informação sobre a punição ao atleta, o que lhe daria condições de jogo.

Por outro lado, o subprocurador William Figueiredo de Oliveira apontou que a obrigação de averiguar as situações dos atletas é dos clubes e não da CBF. Além disso, ressaltou o papel do STJD de se fazer cumprir as regras, independentemente de qualquer questão de "má-fé" de qualquer time. Como partes interessadas no julgamento, advogados de Flamengo e Fluminense também defenderam suas posições. 

Fonte: Estadão

ENTREVISTA

VÍDEO: Programa Psicologia no Ar recebe professor doutor de Cajazeiras pra falar sobre Psicologia Social

INTERVIEW

VÍDEO: Autor do filme “Memória Bendita” fala sobre os desafios de promover cultura na região de Sousa

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa: Em Continência ao Senhor Jesus com os membros da Igreja Fonte de Água da Vida

MARIA CALADO NA TV

Maria Calado na TV recebe diretamente do Rio Grande do Norte, Fábio Carvalho; CONFIRA!