header top bar

section content

Fluminense e Vasco são rebaixados para a segunda divisão. Fotos e vídeo!

Dois gigantes do Futebol do Rio de Janeiro foram rebaixados para a segunda divisão do ano que vem

Por

09/12/2013 às 00h13

O futebol do Rio teve o domingo mais terrível de sua história. Fluminense e Vasco, dois gigantes que, juntos, já conquistaram oito vezes o Campeonato Brasileiro, foram rebaixados para a segunda divisão do ano que vem. O time de São Januário foi humilhado em Joinville e levou de 5 a 1 do Atlético-PR, em jogo marcado pela violência das torcidas, com briga generalizada na arquibancada, que deixou três torcedores gravemente feridos e provocou a interrupção da partida por uma hora e doze minutos. Já o tricolor venceu o Bahia de virada, por 2 a 1, em Salvador, mas a vitória não foi suficiente porque o Coritiba derrotou o São Paulo por 1 a 0, em Itu, interior paulista, e empurrou a equipe das Laranjeiras para a Série B. É o quarto rebaixamento do Fluminense, que caíra em 1996 (não disputou a Série B graças a uma virada de mesa), 1997 e 1998 (para a Série C). E o segundo do Vasco, que já tinha caído em 2008.

O Botafogo comemora: o alvinegro derrotou o Criciúma por 3 a 0, no Maracanã, e ficou em quarto lugar, na zona de classificação para a Copa Libertadores do ano que vem. O Botafogo se beneficiou da derrota do Goiás por 3 a 0 para o Santos, mas precisava da vitória do Vasco para terminar em terceiro. Os botafoguenses terão que torcer para a Ponte Preta não ser campeã da Copa Sul-Americana na próxima quarta-feira. Se o time de Campinas derrotar o Lanús na Argentina e conquistar o título, vai se classificar para a Libertadores e tirar a vaga do Botafogo, porque o G-4 do Brasileirão vai virar G-3.

– Foi difícil, a gente sofreu muito este ano, com muitas coisas extracampo que pesaram. Vai ser um ano de reformulação, e temos que levantar a cabeça. Vai ser uma virada de ano com muitas críticas, mas a gente tem que se levantar. Quem ficar no Fluminense vai ter que trazer o time de volta – disse o meia Wagner.

O jogo em Salvador
O Fluminense passou muitos sustos no jogo em Salvador, e contou com pelo menos cinco grandes defesas de Diego Cavalieri. No primeiro tempo, foram três, aos 20, 28 e 29 minutos. Na etapa final, mais duas, aos 7 e aos 26. O Bahia abriu o placar aos 41 minutos de jogo, em chute de William Barbio na pequena área, após boa jogada e cruzamento de Marquinhos da esquerda. Depois do intervalo, o Fluminense mostrou que estava disposto a pressionar. Àquela altura, o Coritiba já vencia o São Paulo, e de nada adiantava virar o placar em Salvador. Mas foi isso que aconteceu: Rafael Sóbis foi decisivo em dois lances. Aos 10, ele fez jogada pela direita e Wagner aproveitou para empatar em 1 a 1. Aos 37, ele cruzou para a cabeçada de Samuel: 2 a 1 Fluminense.

Perto do fim, quatro jogadores do Fluminense perguntaram na beira do campo ao técnico Dorival Jr. como estava o jogo do Coritiba. Foram informados de que já terminara, e com a vitória do time paranaense. Souberam ali que o tricolor carioca estava rebaixado, independentemente do que fizesse em campo.

– Foi muito sacrifício, desfalcados de muitos jogadores, nas laterais, tentamos reverter, mas não deu – lamentou o zagueiro Gum. – Pedimos desculpas aos torcedores, vamos sofrer, mas é levantar a cabeça para o Fluminense voltar à primeira divisão. É se planejar e voltar a conquistar títulos novamente. Aí, sim, vamos cicatrizar com essa dor que hoje a gente está vivendo – completou

Como foi a queda do Vasco
Em Joinville, precisando vencer e dependendo de outro resultado para escapar do rebaixamento, o Vasco levou o primeiro gol logo aos quatro minutos. Paulo Baier cobrou falta na área, e Manoel, de cabeça, abriu o placar. Aos 17 minutos, a partida foi interrompida devido à briga na arquibancada. Após o recomeço, Edmilson empatou, aos 41 do primeiro tempo, em jogada de Yotún pela esquerda. Mas nem teve tempo para a torcida vascaína sonhar com a permanência na elite. Quatro minutos depois, Éderson, de cabeça, tocou no contrapé de Alessandro, que ainda escorregou na jogada.

No intervalo, o técnico Adilson Batista tirou Wendel e colocou Bernardo. Ainda mais exposto, o Vasco viu o Furacão passear em campo. Marcelo fez o terceiro aos 18. E ainda houve tempo para mais dois do artilheiro do Brasileiro, Éderson, aos 36 e aos 40. Fim de jogo: de um lado, festa para a torcida e jogadores do Furacão, que se garantiu na Libertadores do ano que vem. Do outro, mais uma página triste na história do Vasco.

Assista os gols!

Fonte: O Globo

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe os organizadores do 1º Eco pedal e o garoto prodígio do futebol Luiz Felipe