header top bar

section content

Em Jogo tenso, Inter encerra jejum e quebra série invicta do Corinthians

Com arbitragem polêmica, Colorado acaba com sequência de empates e encerra invencibilidade do Timão, que não perdia há dez jogos no Brasileiro

Por

05/09/2013 às 07h14

A vitória no Estádio do Vale demorou, mas, enfim, chegou para o Internacional neste Campeonato Brasileiro. Longe do Beira-Rio por conta das obras para a Copa do Mundo de 2014, o Colorado desencantou, venceu o Corinthians por 1 a 0 em Novo Hamburgo, na noite desta quarta-feira, e acabou com sua “empatite”. A equipe do técnico Dunga não vencia havia sete rodadas na competição nacional, enquanto o Timão não perdia desde a sétima rodada.

Foi um jogo brigado, tenso, de pouca técnica. Sem a presença de seus principais goleadores, Diego Forlán e Paolo Guerrero, que acumulam 17 gols cada nesta temporada, Internacional e Corinthians protagonizaram uma partida truncada, com muito tempo de bola parada e mais faltas duras do que chances de gol. Só na etapa inicial, por exemplo, foram 22 minutos sem a bola rolando.

O jogo também foi polêmico. No primeiro tempo, os Colorados reclamaram da anulação de um gol de Fabrício – o lateral mandou para a rede com Cássio no chão, após choque com Leandro Damião – e da não marcação de um pênalti em toque da bola na mão de Emerson Sheik. Na etapa final, porém, D’Alessandro marcou de falta e garantiu a vitória gaúcha.

Na tabela de classificação, as coisas mudam pouco para gaúchos e paulistas. Enquanto o Internacional chega a 27 pontos, na sexta posição, o Corinthians permaneceu estagnado no quinto lugar, com 29.

O Timão terá dificuldades para montar sua equipe na próxima rodada: sem Pato e Guerrero, convocados pelas seleções de Brasil e Peru, Tite ainda terá de lidar com as perdas de Douglas e Emerson, suspensos.
Enquanto o Internacional volta a campo no sábado, às 18h30m (horário de Brasília), contra a Ponte Preta, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, o Corinthians recebe o lanterna Náutico, domingo, às 16h, no Pacaembu.

Menos futebol, mais polêmica

Internacional e Corinthians não são clubes da mesma cidade, estado ou região do país. A rivalidade entre os clubes, porém, é digna de um clássico. Em sua última entrevista antes do confronto desta quarta, o técnico Tite – que já comandou o Colorado e está há quase três anos no Timão – avisou que “o caldeirão iria ferver”. Dito e feito. As equipes precisaram de apenas metade do primeiro tempo para transformar a partida em polêmica.

O Timão conseguia articular as jogadas no início. Aberto pela direita, Romarinho criou a melhor chance de gol alvinegra: Edenílson recuperou a bola no meio-campo, e tocou para o atacante, que acertou belo passe de primeira para Emerson. Cara a cara com o goleiro Alisson, sem marcação, Sheik chutou para fora.

Do outro lado, o argentino Scocco chamava a responsabilidade. Rápido, ele tentava invadir a área pela esquerda, mas era desarmado com frequência por Gil, um “paredão” na defesa corintiana. O técnico Dunga pedia que o Colorado aproveitasse mais as laterais, com cruzamentos e jogadas de velocidade.

E foi em uma dessas tentativas que surgiu a polêmica, aos 23: o volante Ygor escapou da marcação pela direita e cruzou para a área. Cássio saiu do gol e trombou com Leandro Damião, em choque feio. Ambos ficaram no chão, e a bola sobrou para Fabrício, que, de fora da área, fez o gol. O árbitro catarinense Paulo Henrique Godoi Bezerra apontou o centro de campo, sinalizando o gol, mas voltou atrás após ver sinal do auxiliar Carlos Berkenbrock, que indicou falta. O lance foi anulado.

Revoltado com a marcação inicial do gol, Tite correu em direção ao quarto árbitro para pedir falta em Cássio. O treinador foi atendido, mas acabou expulso de campo, deixando o auxiliar Cléber Xavier no comando do Timão. A indignação, então, passou para o lado do Inter.

Dunga não parou de gesticular até o intervalo. Mas o choque entre Damião e Cássio foi tão forte que o goleiro precisou ser substituído por Danilo Fernandes.

A revolta colorada aumentou quando, nos minutos finais, Sheik tentou afastar o perigo da área alvinegra, “furou” e tocou involuntariamente com a mão esquerda na bola. Os colorados pediram pênalti.

– Estamos acostumados com isso – disse, em tom irônico, o meia D’Alessandro, reclamando da arbitragem na saída de campo.

D'Alessandro resolve

O Internacional voltou do vestiário com a mesma formação, enquanto o Corinthians trocou Fábio Santos, com dores, por Alessandro. Mais criativo e confiante, o time gaúcho partiu para cima dos alvinegros em busca do gol, que viria em lance de bola parada, aos oito minutos.

Em avanço do Inter pela direita, o árbitro viu toque de mão do meia Douglas e marcou falta. Por reclamação, o camisa 10 do Corinthians recebeu o cartão amarelo, que o suspendeu automaticamente da partida contra o Náutico, domingo. Na cobrança, D’Alessandro mandou direto para o gol. A bola desviou na cabeça de Romarinho, único homem na barreira, tirando Danilo Fernandes do lance e deixando os colorados em vantagem.

O restante da partida foi somente de prejuízo para o Corinthians. Sem a criatividade apresentada nas últimas partidas, especialmente na goleada por 4 a 0 sobre o Flamengo, no último domingo, o Timão viu o relógio passar sem criar reais chances de gol. Emerson, que também estava pendurado, recebeu o terceiro cartão amarelo, juntando-se a Douglas, Guerrero e Pato como desfalques para domingo.

Aos gaúchos, coube administrar a vantagem. Apostando nos contra-ataques, centralizados em D'Alessandro e, nos minutos finais, em Alex, que substituiu Damião, o Internacional ainda chegou a incomodar o Timão, mas não conseguiu ampliar. Nem precisava. Fim do jejum colorado. Fim da série invicta alvinegra.

GE

AO VIVO

Assista a programa da TV Diário do Sertão – AO VIVO

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Programa Mensagem de Esperança com Sara Sheyla e Nelson Dantas

A FAVOR DA REFORMA

Empresário diz que Justiça do Trabalho só penalizava os patrões e chama a CLT de ‘excrescência jurídica’

DA REGIÃO DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Do assassinato do pai ao sucesso na política, prefeito conta trajetória de superação no Interview