header top bar

section content

Após o AVC Ricardo Gomes está liberado para a decisão

Há pouco mais de três meses, treinador deixava o Engenhão de ambulância para iniciar uma dura luta pela vida. Hoje, pode pensar em retornar ao estádio

Por

02/12/2011 às 10h07

Coletiva

Fábio Miranda (esquerda) e José A. Guasti (direita)
acompanharam o dia a dia de Ricardo Gomes
(Foto: Rafael Cavalieri/Globoesporte.com)

Dia 28 de agosto. Última rodada do primeiro turno. O Flamengo lutava pela liderança enquanto o Vasco havia iniciado a rodada na quarta colocação. Havia muita expectativa pelo clássico. No entanto, no decorrer do segundo tempo, Ricardo Gomes deixou o campo de ambulância, e a bola ficou em segundo plano. O treinador sofreu um AVC (acidente vascular cerebral) e viveu momentos difíceis, em que lutou pela vida. Pouco mais de três meses depois, os clubes voltam a se enfrentar, e em São Januário o sentimento não é nem de longe o da tristeza que tomou conta após o fato. Pelo contrário. Ricardo Gomes vem se recuperando bem do problema e está liberado para ir torcer de perto pelo título brasileiro, no Engenhão. O aval foi dado mais uma vez nesta semana.

– Ele esteve sorridente e falante no meu consultório. Está autorizado há três semanas para ir ao estádio assistir a qualquer jogo. A opção é dele. E isso é algo muito surpreendente. A doença que ele teve põe em risco a vida de qualquer um. No primeiro momento a preocupação era saber se ele iria sobreviver. Foram momentos de muita tensão. Mas graças a Deus ele foi operado rapidamente e teve essa recuperação maravilhosa – afirmou o doutor Fábio Miranda,  clínico particular de Ricardo Gomes.

Fábio Miranda, que acompanhou diariamente a evolução de Ricardo, relembra dos momentos difíceis no hospital. Durante a primeira semana, a maior preocupação era saber se o técnico iria sobreviver. Sequelas de movimentação e fala só foram virar pauta entre os médicos bem depois. Hoje em dia, o doutor abre o sorriso para reconhecer que a recuperação foi muito mais satisfatória do que qualquer um na equipe médica esperava.

– Quando cheguei e vi a tomografia e aquele alvoroço todo no hospital, mandei prepararem a sala de imediato. Depois foi só usar tudo que aprendemos ao longo da vida e torcer por uma boa cirurgia – afirmou o médico.

A velocidade a que Ricardo Gomes foi submetido ao processo cirúrgico foi determinante. E até antes de entrar na sala de cirurgia o treinador teve sorte. O neurocirurgião José Antônio Guasti estava a caminho do Hospital Pasteur, para onde Ricardo foi transferido, para dar alta em outro paciente. Ele resolveu sair de casa no intervalo do clássico para poder evitar o trânsito no retorno. No meio do caminho, recebeu a ligação informando a situação de Ricardo Gomes e, de imediato, já convocou o restante da equipe.

– Nos dá uma sensação muito boa, de vitória mesmo. Ele apresentava um grande risco de vida, e estar onde está hoje, depois de percorrer uma estrada tão crítica, me deixa com paz interior. Isso não tem preço. Até falei que, se não fosse uma decisão repleta de emoção, ele poderia ir ao centro do gramado, mas como a tensão é grande, é melhor deixá-lo mais tranquilo, apenas assistindo e torcendo muito – disse.

Contexto do time também mudou

No fim do primeiro turno, o líder do campeonato também era o Corinthians. O Flamengo estava em segundo e era quem poderia assumir a ponta da tabela. O Vasco fazia boa campanha, mas havia iniciado a rodada na quarta colocação. Se a situação de Ricardo Gomes mudou radicalmente de três meses para cá, a do Vasco também. Sob o comando de seu auxiliar, Cristóvão Borges, o clube pode chegar à quinta conquista de Brasileiro, enquanto o Flamengo não tem mais chances.

Homenagear o trabalho e a recuperação de Ricardo é o principal combustível para os jogadores, que nunca deixaram de acreditar e de lutar mesmo com baque tão grande.

– Muita coisa mudou, muita coisa aconteceu, mas nunca deixamos de acreditar. Foi um fato gravíssimo, mas que acabou nos unindo ainda mais e nos dando cada vez mais força, ainda mais nesta reta final em que vimos como ele está bem – afirmou o volante Romulo.

Cristóvão reconhece a emoção

O atual técnico do Vasco e braço direito de Ricardo Gomes, Cristóvão Borges, lembrou que o retorno ao Engenhão no clássico contra o Botafogo foi extremamente marcante para todos no Vasco. Ele, inclusive, bateu muito nesta tecla com os jogadores. A vitória por 2 a 0 foi como um presente. Agora, ele espera a mesma emoção.

– A gente tem de levar aquele alto astral e aquela alegria para procuramos construir uma nova vitória. Contra o Botafogo foi muito marcante retornar ao Engenhão. Agora o sentimento é o mesmo só que nós podemos sair de lá com uma conquista extremamente importante – afirmou.

Os momentos marcantes da luta de Ricardo Gomesstyle=margin-top:

 29/AGOSTO – Vasco e Flamengo disputavam o clássico, mas por volta dos 20 minutos do segundo tempo Ricardo Gomes passou mal e deixou o campo de ambulância. Logo foi diagnosticado o quadro de AVC (acidente vascular cerebral) hemorrágico. Duas horas depois ele estava sendo submetido a uma cirurgia de emergência no Hospital Pasteur, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

31/AGOSTO – Jogadores de Vasco e Ceará fazem uma oração no meio do gramado de São Januário pela recuperação do treinador, antes da partida pelo Campeonato Brasileiro. Ricardo Gomes segue em estado grave na UTI.

 07/SETEMBRO – Ricardo Gomes passa a ficar totalmente sem sedativos. A família libera visitas de amigos mais próximos. As sessões de fisioterapia motora e respiratória seguem sendo realizadas de três a quatro vezes por dia.

09/SETEMBRO – O grupo de médicos resolve retirar o tubo traqueal que auxiliava a respiração do técnico. Com isso, Ricardo Gomes já respira sem ajuda de qualquer auxílio. Além disso, o treinador já não ficava mais o tempo todo deitado. Além de sentar, ele interagia cada vez melhor com as pessoas chegando até a pronunciar de maneira clara algumas palavras.

12/SETEMBRO – Ricardo Gomes deixa o CTI após 15 dias de internação. Ele é transferido para o quarto e realiza sessões de fisioterapia motora em dois momentos do dia. O trabalho de fonoaudiologia também acontece.

style=margin-top:18/SETEMBRO – Após 21 dias, o treinador recebe alta do hospital e vai para casa. No mesmo dia, o Vasco assume novamente a liderança do Campeonato Brasileiro.

16/OUTUBRO – Ricardo Gomes liga para a concentração do Vasco e conversa com os jogadores pelo viva voz antes do jogo contra o Atlético-MG, em São Januário. O Vasco venceu por 2 a 0.

09/NOVEMBRO – Ricardo faz uma visita surpresa para os jogadores no hotel onde o Vasco está concentrado para o jogo contra o Universitario, do Peru. "Não consigo expressar a emoção que foi vê-los. Foi muito mais emocionante para mim do que para eles. Poucos sabiam que eu ia, e foi muito legal o reencontro" – disse o treinador.

12/NOVEMBRO – O treinador vai jantar com os jogadores na concentração do Vasco. Logo ao descer do carro, de carona com sua esposa Cláudia, o comandante foi recepcionado pelo presidente do Vasco, Roberto Dinamite, pelo diretor executivo de futebol, Rodrigo Caetano, pelo treinador Cristovão Borges, pelo preparador físico Rodrigo Poletto e por outros integrantes da comissão técnica. Já ao entrar no hotel, Ricardo Gomes recebeu o abraço do reizinho Juninho Pernambucano e do ex-jogador Ricardo Rocha, que estavam no saguão: "Estou torcendo muito de casa, me sinto um verdadeiro torcedor" – disse.

27/NOVEMBRO – O técnico visitou mais uma vez os jogadores do Vasco na concentração, em um hotel na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Ele ficou por algumas horas no local, jantou com os atletas e bateu um papo com todos.

Ricardo

Ricardo Gomes visita o elenco do Vasco (Foto: Marcelo Sadio / Site Oficial do Vasco da Gama)

GLOBOESPORTE.COM

ENTREVISTA BOMBÁSTICA

VÍDEO: Declarações polêmicas e provocações marcam o programa Xeque-Mate com o ex-prefeito Carlos Antônio

VÍDEO

Ex-aliado diz que prefeito de Cajazeiras forma “organização criminosa” e aponta gordas gratificações

DIÁRIO ESPORTIVO

Confira o resumo da rodada no programa Diário Esportivo com Luiz Júnior

XEQUE MATE

VÍDEO: Carlos Antonio declara pela 1ª vez publicamente apoio a Júnior Araújo; “é cancela fechada”