header top bar

section content

Portuguesa empata com o Sport e conquista o primeiro título brasileiro de sua história

A Portuguesa empatou com o Sport, por 2 a 2, no Canindé, e garantiu o título da Série B do Brasileiro

Por

09/11/2011 às 00h26

Pela primeira vez na história a Portuguesa sagrou-se campeã brasileira. Pela primeira vez depois de muitos anos os torcedores portugueses terminam a temporada orgulhosos do time. Nesta terça-feira, a Lusa cumpriu o seu papel, empatou com o Sport, por 2 a 2, e conquistou o título da Série B com três rodadas de antecedência, tornando realidade a festa anunciada dentro de um lotado Canindé com mais de 12 mil torcedores.

O acesso à elite já havia sido garantido há 11 dias, após uma vitória sobre a Ponte Preta. Agora, a taça foi assegurada e mais comemoração na casa rubro-verde. Sob o comando do técnico Jorginho, a Portuguesa transformou em realidade o sonho de uma conquista, que havia batido na trave com as boas equipes de 1996 (Brasileirão) e 1998 (Paulista).

Apesar do susto com o gol do Sport, marcado por Montoya, logo no início, a Portuguesa virou no segundo tempo, com gols de Marco Antonio e Renato, e levou mais um feito por Robston. Festa nas arquibancadas, título que encheu a torcida de orgulho e com um sabor especial. Triunfo em cima do clube pernambucano, que em 2008 havia sacramenta a queda da Lusa para a Segunda Divisão, com um empate por 2 a 2, na penúltima rodada.

Faltando três rodadas para o final do campeonato, o time rubro-verde chegou aos 72 pontos, contra 62 do Náutico, o segundo colocado, e não pode ser mais alcançado por ninguém. Na campanha campeã, foram 20 vitórias, 12 empates e apenas três derrotas.

A última vez que a Lusa tinha sido campeã foi em 2007, da Séria A-2 do Paulista. Os últimos títulos de expressão faziam parte do passado: os Paulistões de 1935, 1936 e 1973, e os Torneios Rio-São Paulo de 1952 e 1955. Depois do sucesso em 2011, a meta é se manter em alta em 2012, quando volta a disputar a Série A do Brasileiro após três anos longe.

O Jogo – A Portuguesa permaneceu muito mais tempo com a bola na primeira etapa, e criou chances de gol claríssimas, ao contrário do Sport. O único empecilho do time paulistano para ir ao intervalo confiante no título é que os visitantes surpreenderam e marcaram logo aos três minutos de jogo, sem que ninguém tivesse no campo de ataque do adversário.

Após escanteio cobrado por Marcelinho Paraíba pela direita, os zagueiros do Sport praticamente fizeram uma tabela, quando Gabriel ajeitou para Montoya, que bateu com o canto do pé à direita de Wéverton, que nem viu a cor da bola e apenas lamentou o primeiro gol sofrido dentro do Canindé.

O gol não esmoreceu a torcida da Lusa, que continuou cantando e incentivando o time, mas deixou o time visivelmente abalado, tanto que houve certa demora até que conseguisse encaixar alguma jogada ofensiva relevante.

Apenas Edno vinha chamar a responsabilidade e buscar a bola dos pés dos três volantes para armar o time. O problema é que o fôlego acabava e o Sport recuperava para ficar tocando de lado sem dar espaço ao ímpeto da Portuguesa, que só esboçou o empate aos 29, quando Marcelo Cordeiro cruzou e Leandro Silva cabeceou por cima do gol, sem sustos.

Assustado ficaria o goleiro Wéverton, quando Maylson foi derrubado pelo próprio Leandro e Marcelinho Paraíba cobrou a falta com muito perigo à sua meta. Ao espalmar para frente, o goleiro da Lusa afastou o perigo do ataque do Sport além do lance do gol.

Tentando encontrar seus espaços para pressionar o time pernambucano, o Rubro-Verde viu em Marco Antônio, que praticamente inverteu de posições com Edno e passou a ajudar no ataque, a grande esperança de gols no fim do primeiro tempo.

Foi de um cruzamento do camisa 10 que a Lusa quase igualou o placar, aos 38, quando Ananias cabeceou nas mãos do goleiro Magrão. O lance perigoso, último da primeira etapa, seria aos 41, quando o time já tinha Ivo em campo no lugar de Rai e havia se jogado para cima do Sport.

Na investida de Marcelo Cordeiro, Montoya chegou por trás e cometeu a falta próxima à entrada da grande área. Marco Antônio cobrou com precisão, mas a bola bateu no travessão e saiu pela linha de fundo, tirando o último grito desesperado dos torcedores do Canindé no primeiro tempo.

Equilibrada, a segunda etapa teve uma Portuguesa buscando colocar a bola no chão e trabalhar com base na técnica, seu grande recurso durante toda a Série B. Depois de perder uma chance concreta aos nove minutos, quando Luís Ricardo recebeu dentro da área, mas não acertou o alvo, a Lusa foi premiada pela valentia de seu capitão.

Depois de receber passe curto pouco à frente da linha divisória do meio-campo, Marco Antônio não teve dúvidas ao observar Magrão adiantado e bateu de lá mesmo para marcar um golaço e correr para o abraço aos companheiros e aos

No minuto seguinte, inspirado, o capitão da Lusa ainda desferiu outro petardo, mas dessa vez a bola saiu à direita do gol. Com o inteiro domínio da partida, o time trabalhava a bola no campo de ataque e escolhia o momento de atacar, o modo de explorar as boas oportunidades criadas.

Foi assim aos 27 minutos, quando Luís Ricardo deu sorte e conseguiu um drible de calcanhar por debaixo das pernas do marcador e cruzou com força, no meio da área. O zagueiro Renato, bem posicionado por ali, colocou o pé na bola, se antecipou a Montoya e ajudou a Lusa a virar o placar no Canindé.

Como apreciam uma boa dose de emoção, os anfitriões ainda levariam o gol de empate aos 35 da segunda etapa, quando Thiaguinho serviu Robston na entrada da área e o meio-campista bateu cruzado para o fundo gol.

Os minutos finais foram dramáticos, já que o Sport tinha três atacantes e corria contra o tempo por uma vitória, última chance de ainda brigar por uma vaga na Série A em 2012. O volante Guilherme ainda saiu de campo sangrando para a entrada do zagueiro Jaime, que segurou como podia e evitou que o time pernambucano sonhasse atingir o patamar da Lusa na próxima temporada. Os três minutos de acréscimo passaram em câmera lenta, mas passaram.

FICHA TÉCNICA PORTUGUESA 2 X 2 SPORT
Local: Estádio do Canindé, em São Paulo (SP)
Data: 8 de novembro de 2011, terça-feira
Horário: 20h30 (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR)
Assistentes: Moisés Aparecido de Souza e Luciano Roggenbaum (ambos do PR)
Cartões amarelos: Luís Ricardo, Leandro Silva (Portuguesa); Moacir, Montoya , Thiaguinho, Marcelinho Paraíba (Sport)
Público: 12.829 torcedores
Renda: R$ 203.905,00

GOLS: Portuguesa – Marco Antônio, aos 14 do segundo tempo e Renato, aos 27; Sport – Montoya, aos três minutos do primeiro tempo e Robston, aos 35 do segundo tempo.

PORTUGUESA: Wéverton; Luís Ricardo, Leandro Silva, Renato e Marcelo Cordeiro; Guilherme (Jaime), Rai (Ivo), Henrique, Marco Antônio e Ananias (Cleiton); Edno
Técnico: Jorginho

SPORT: Magrão; Moacir, Gabriel, Montoya e Wellington Saci; Hamilton, Robston, Thiaguinho, Maylson (Bruno Mineiro) e Marcelinho Paraíba (Willians); Roberson (Júnior Viçosa)
Técnico: Mazola Júnior

MSN.COM

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com os membros da Igreja Fonte de água da vida e o Pr. Nilton

ENTREVISTA BOMBÁSTICA

VÍDEO: Declarações polêmicas e provocações marcam o programa Xeque-Mate com o ex-prefeito Carlos Antônio

VÍDEO

Ex-aliado diz que prefeito de Cajazeiras forma “organização criminosa” e aponta gordas gratificações

DIÁRIO ESPORTIVO

Confira o resumo da rodada no programa Diário Esportivo com Luiz Júnior