header top bar

section content

Dilma erra em posse e novo ministro do Esporte se diz não ser inimigo de ONGs

Durante a cerimônia em que tomou posse o novo ministro do Esporte, Aldo Rebelo, a presidente Dilma Rousseff se confundiu e pronunciou errado o sobrenome do subsituto de Orlando Silva, que entregou o cargo na semana passada. O novo ministro do Esporte, Aldo Rebelo (PCdoB), disse nesta segunda-feira (31), após tomar posse, que vai cumprir […]

Por

31/10/2011 às 20h56

Durante a cerimônia em que tomou posse o novo ministro do Esporte, Aldo Rebelo, a presidente Dilma Rousseff se confundiu e pronunciou errado o sobrenome do subsituto de Orlando Silva, que entregou o cargo na semana passada.

O novo ministro do Esporte, Aldo Rebelo (PCdoB), disse nesta segunda-feira (31), após tomar posse, que vai cumprir a prioridade do governo de firmar convênios com órgãos governamentais. No entanto, ele ressaltou que "não é inimigo das ONGs [organizações não governamentais].”

“A primeira coisa que tem que ficar clara é que o ministério e eu não somos inimigos das ONGs”, afirmou Rebelo. “Tenho um grande apreço pelas ONGs e pelo seu trabalho. Só que pelo próprio nome são organizações não governamentais.”

Rebelo disse que o governo prefere desenvolver parcerias com órgãos públicos. “A prioridade do governo é outra, é trabalhar com órgãos do governo, mas não rejeitamos a presença nem a ação das ONGs. Agora, vamos cumprir a determinação da presidente Dilma de fazer esse trabalho neste prazo de 30 dias”, disse Rebelo.

Em decreto publicado hoje, Dilma Rousseff anunciou a suspensão por um mês de todos os repasses de verbas a ONGs realizados pelo governo. Os convênios têm sido os principais alvos de acusações de irregularidade nos ministérios.

Segundo Rebelo, entretanto, a intenção do governo é cumprir os contratos já firmados. "Os [convênios] que estão em curso são contratos já formalizados. Se você rompe um contrato há consequências jurídicas decorrentes desse seu ato. Agora, aqueles que forem encerrados, a minha ideia é não renovar nem fazer novos. Vamos priorizar entes públicos ou outras instituições sem fins lucrativos, mas isso eu vou examinar direito”, completou.

Mais cedo, durante a cerimônia de transferência de cargo no Palácio do Planalto, Rebelo elogiou seu antecessor Orlando Silva (PCdoB-SP), afirmando que ele sempre defendeu a democracia e o país. "Pude testemunhar como deputado a sua trajetória. Mais do que inocente, o senhor é vítima, talvez esta seja a palavra mais precisa", disse Rebelo a Silva. O ex-ministro saiu do cargo depois de acusações de envolvimento em um suposto esquema de desvio de recursos públicos.

“Aceito com humildade [o cargo], com consciência das minhas limitações, deste desafio que se torna mais leve e menor, exatamente pelo que foi construído e foi realizado até agora”, completou o novo ministro.

Rebelo defendeu o legado de Silva e citou que o programa Segundo Tempo –alvo dos supostos desvios no ministério– foi elogiado internacionalmente e era uma tentativa de ampliar a pratica esportiva no país, já que a área foi deixada em segundo plano durante décadas, segundo ele.

Em seu discurso na cerimônia, Orlando Silva aproveitou para se defender novamente das acusações. “Eu fico feliz de poder olhar nos olhos de cada um de vocês, da senhora, presidenta, e dizer: ‘eu sou inocente’”, afirmou, arrancando aplausos do público que acompanhava a posse.

 
UOL

ENTREVISTA BOMBÁSTICA

VÍDEO: Declarações polêmicas e provocações marcam o programa Xeque-Mate com o ex-prefeito Carlos Antônio

VÍDEO

Ex-aliado diz que prefeito de Cajazeiras forma “organização criminosa” e aponta gordas gratificações

DIÁRIO ESPORTIVO

Confira o resumo da rodada no programa Diário Esportivo com Luiz Júnior

XEQUE MATE

VÍDEO: Carlos Antonio declara pela 1ª vez publicamente apoio a Júnior Araújo; “é cancela fechada”