header top bar

section content

Santa Cruz empata com o Treze e volta à Série C do Brasileiro

Diante de quase 60 mil torcedores, Tricolor joga com a vantagem embaixo do braço e consegue o acesso. Treze teve dois jogadores expulsos

Por

17/10/2011 às 00h37

De 24 de agosto de 2008 a 16 de outubro de 2011. Por 1.117 dias o torcedor do Santa Cruz conviveu com o peso da Série D às suas costas. Mas neste domingo (16), o Tricolor pernambucano empatou por 0 a 0 com o Treze e garantiu o acesso à Série C do Brasileiro, em 2012.

Neste dia, 59.966 tricolores transformaram o Arruda num mosaico em vermelho, preto e branco para celebrar o acesso.

O torcedor, que nos últimos anos se tornou íntimo do sofrimento, viveu uma tarde inesquecível, que marcou o abandono do Santa Cruz da camada mais rasa do futebol brasileiro.
Em um jogo nervoso, marcado por duas expulsões do lado paraibano e oito cartões amarelos, o Santa se abraçou à vantagem, por ter empatado o primeiro jogo em Campina Grande por 3 a 3, está de volta à Série C.

Na semifinal, o Santa Cruz enfrenta o Cuiabá-MT, que eliminou o Idenpendente-PA. A CBF decide nesta segunda-feira o mando de campo dos confrontos.

Pressão Tricolor

Santa
Treze teve dois jogadores expulsos
(Foto: Aldo Carneiro)
 

Apesar de jogar por quatro resultados (qualquer vitória e empates de 0 a 0, a 2 a 2 ), o Santa Cruz foi para cima do Galo da Borborema. Mas a primeira finalização com perigo só aconteceu aos 11 minutos. Weslley cobrou escanteio o zagueiro Leandro Souza subiu entre três defensores do Treze e cabeceou para fora. As jogadas de ataque do Treze se resumiam às investidas pelo lado esquerdo, sempre acionando o lateral Célico.

Aos 18 minutos, os jogadores do Santa Cruz reclamaram pênalti de Fábio Oliveira em Natan, mas o árbitro carioca Marcelo de Lima Henrique mandou seguir. Aos 21, num contra-ataque, Cleo avançou pela esquerda, passou pelo zagueiro Leandro Souza e chutou com perigo para o goleiro Thiago Cardoso.

Santa
59.966 tricolores lotaram o Arruda (Foto: Antônio Carneiro)

Aos 22 minutos, Natan recebeu dentro da área, driblou o zagueiro Anderson e, de frente pro gol, chutou forte para defesa de Lopes no centro do gol. No minuto seguinte, Weslley levantou na área e Fernando Gaúcho desviou de cabeça: pra fora. Aos 28 minutos, o técnico Marcelo Vilar foi obrigado a tirar o volante Fábio Oliveira, que, machucado, deu lugar a Roberto na equipe.

O Santa mandava no jogo. Aos 33, Thiago Cunha recebeu de frente pro gol, tinha a possibilidade de invadir a área, mas preferiu chutar para mais uma boa defesa de Lopes. Apesar da pressão Tricolor, a primeira etapa terminou em 0 a 0.

Treze volta melhor, mas perde a cabeça

Bastaram três minutos para o Treze produzir mais que tem toda a primeira etapa. Com 20 segundos, Cleo foi à linha de fundo e bateu cruzado para a defesa em dois tempos de Thiago Cardoso. Depois, Chapinha tabelou com Warley e chutou tirando tinta da trave do goleiro tricolor.

Aos oito minutos, Marcelo Vilar sacou o zagueiro André Lima e colocou o atacante Vavá. Alvinegro paraibano com três atacantes em campo.

O Treze jogava melhor, aproveitava os espaços oferecidos pelo meio-campo tricolor. Para reforçar a marcação, o técnico Zé Teodoro decidiu tirar o meio-campo Natan e colocar o volante Everton Sena para reforçar a marcação no meio. Aos 19 minutos, Zé Teodoro perdeu o meio-campo Weslley, machucado. Renatinho foi para o jogo.

Aos 24 minutos, o Treze ficou com um jogador a menos: o lateral-esquerdo Celico deu um carrinho no volante Jeovânio e recebeu o cartão vermelho.

Santa
Santa Cruz x Treze fizeram um jogo nervoso
(Foto: Antônio Carneiro)
 

Na tentativa de recompor o setor, o técnico Marcelo Vilar colocou o meio-campo Cleiton Cearense na vaga do atacante Warley. Aos 32 a situação se complicou de vez para o time paraibano: o volante Roberto, que já tinha amarelo, levantou demais a perna e acabou acertando o meio-campo Renatinho. Segundo amarelo para ele e o Galo da Borborema com menos dois.

Com 11 jogadores contra nove do Treze, o Santa se tornou senhor do jogo. Aos trinta e oito, Dutra arriscou de fora da área e Lopes mandou para fora. Na cobrança do escanteio, André Oliveira cabeceou na trave direita de Lopes.

O Santa Cruz explorava os espaços oferecidos pelo Treze e a velocidade do meio-campo Renatinho, um dos melhores jogadores em campo. Aos 42, o baixinho tricolor fez bela jogada pela esquerda e chutou raspando à trave de Lopes.

Aos 48 do segundo tempo,o árbitro Marcelo de Lima apitou o fim do jogo e deu um ponto final à agonia tricolor. O Santa Cruz está de volta à Série C. Nunca um 0 a 0 foi tão comemorado.

SANTA CRUZ

Thiago Cardoso; Chicão, Leandro Silva, André Oliveira, Dutra; Jeovânio, Memo, Weslley (Renatinho), Natan (Everton Sena); Fernando Gaúcho e Thiago Cunha. Técnico: Zé Teodoro

TREZE

Lopes; Ferreira, Anderson, André Lima (Vavá), Celico; Saulo, Fábio Oliveira (Roberto), Cléo, Doda; Warley (Cleiton Cearense) e Chapinha. Técnico: Marcelo Vilar

Cartões amarelos: Fábio Oliveira, André Lima, Chapinha, Roberto, Saulo (Treze); Leandro Souza, Fernando Gaúcho e Jeovânio (Santa Cruz)

Cartões vermelhos: Celico e Roberto (Treze)

Local: Arruda.  Público: 59.966 torcedores. Renda: R$1.010.860,00

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (FIFA-RJ)

Auxiliares: Roberto Braatz (FIFA-PR)e Marco Antônio Martins (SC)

GLOBOESPORTE.COM

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com os membros da Igreja Fonte de água da vida e o Pr. Nilton

ENTREVISTA BOMBÁSTICA

VÍDEO: Declarações polêmicas e provocações marcam o programa Xeque-Mate com o ex-prefeito Carlos Antônio

VÍDEO

Ex-aliado diz que prefeito de Cajazeiras forma “organização criminosa” e aponta gordas gratificações

DIÁRIO ESPORTIVO

Confira o resumo da rodada no programa Diário Esportivo com Luiz Júnior