header top bar

section content

Guerra suja: crianças ficam horrivelmente queimadas após ataque com arma química na Síria

Uma das fotos mostra um menino sentado em uma cama de hospital com o rosto enegrecido

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

05/09/2016 às 13h41

Guerra civil na Síria (Foto: Reprodução/ Daily Mail)

Imagens angustiantes de crianças vítimas de supostas bombas de napalm surgiram na internet após uma série de ataques aéreos na província síria de Hama na última quinta-feira (1º).

Um grande número de crianças feridas por bombas incendiárias foram levadas para o Hospital, segundo o médico Zaher Sahloul.

Uma das fotografias chocantes mostra um menino sentado em uma cama de hospital com queimaduras terríveis. Seu cabelo foi chamuscado e suas roupas foram cortadas.

Sobre a criança, o doutor Sahloul escreveu no Twitter: “Essa não é uma vítima de Napalm no Vietnã, mas uma criança vítima de Napalm em Hama”.

Guerra civil na Síria (Foto: Reprodução/ Daily Mail)

Guerra civil na Síria (Foto: Reprodução/ Daily Mail)

No domingo (28), o vídeo de uma criança se contorcendo em agonia enquanto um grupo de homens tentam apaziguar sua dor foi divulgado pelo Centro de Mídia de Homs.

Os homens espalham lama em toda a cabeça da criança e sobre as feridas ensanguentadas, na tentativa de diminuir sua dor. De acordo com informações da mídia local, o menino também teria sido atingido no bombardeio com napalm

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos confirmou que uma série de ataques aéreos no norte da província de Hama matou pelo menos 25 civis, incluindo seis crianças.

R7

“Boca Quente” fala sobre Nilvan, Josival, Gutemberg e narra fato que mais lhe chamou atenção na área policial

PROGRAMA XEQUE-MATE

VÍDEO: Padre e missionários falam sobre recuperação de dependentes químicos na região de Cajazeiras

DIÁRIO ESPORTIVO

Ao lado de grandes nomes da imprensa, Diário Esportivo debate as rodadas da Série C e D do Paraibano

PARTIU PARA O ATAQUE

VÍDEO: Júnior Araújo diz que José Aldemir vai perseguir servidores que não apoiarem campanha de Paula