header top bar

section content

Banana mais popular do mundo poderá desaparecer em breve devido a um fungo agressivo

Já na década de 1960, o mal-do-Panamá quase levou à extinção a anteriormente popular banana do tipo Gros Michel.

Por

15/12/2015 às 00h29

A banana divina - Por Mariana Moreira

A banana do subgrupo Cavendish é a mais popular, mais consumida e mais cultivada do mundo. No entanto, ela poderá desaparecer em breve devido a um fungo agressivo causador do assim chamado mal-do-Panamá. Essa descoberta consta de um estudo realizado por cientistas da Universidade de Wageningen, Holanda.

Já na década de 1960, o mal-do-Panamá quase levou à extinção a anteriormente popular banana do tipo Gros Michel. Agora, uma cepa diferente do fungo, conhecida como TR4, ameaça o subgrupo Cavendish, variedade que inclui a banana nanica. Os cientistas acreditam ser só uma questão de tempo até uma nova cepa do fungo chegar à América Latina, onde são cultivadas 80% das bananas Cavendish do mundo.

A cepa TR foi identificada primeiramente em 1994, depois de o fungo ter destruído bananais em Taiwan três décadas antes. No entanto, "o surto inicial não chamou a atenção da indústria da banana, e os níveis de conscientização permaneceram baixos", afirmam os pesquisadores.

Avanço do fungo
O TR4 é um agente patogênico resistente a fungicidas que pode permanecer inativo no solo por até 30 anos. Quando ataca, ele destrói o mecanismo de transporte de líquido das plantas, fazendo com que murchem rapidamente, morrendo de desidratação.

Em seguida ao ataque inicial em plantações do Taiwan, o vírus se espalhou o leste e sudeste da Ásia. Recentemente ele também foi encontrado em outras partes do mundo, prossegue a pesquisa.

"Desde 2013, incursões fora do Sudeste Asiático foram relatadas na Jordânia, Paquistão e Líbano, anunciadas informalmente em Moçambique e Omã, e recentemente observadas na região de Tully, no norte do estado australiano de Queensland." Quarentenas e outras medidas de biossegurança tiveram sucesso apenas parcial em conter o avanço.

Grande desafio
Da mesma forma que a cepa anterior do agente que causou o mal-do-Panamá destruiu quase todas as plantações da Gros Michel no mundo, a versão TR4 tem o potencial para fazer o mesmo com a Cavendish. As bananas vendidas comercialmente são todas clones estéreis – sem sementes – de uma única planta-mãe, não tendo, portanto, como evoluir para se defender contra a doença.

Não há solução fácil para a situação, informam os cientistas. A resposta mais lógica para esse prognóstico pode ser o desenvolvimento de uma nova geração de variedades de bananas de acordo com a preferência dos consumidores.

"No entanto, o desenvolvimento de novos tipos de bananas requer grandes investimentos em pesquisa e desenvolvimento e o reconhecimento da fruta como cultura global e comercializável (em vez de uma "cultura órfã", negligenciada e subutilizada), garantindo a subsistência de milhões de pequenos agricultores", escrevem os cientistas.

"Até que novos tipos de bananas resistentes e comercialmente viáveis cheguem aos mercados, toda alternativa potencial de combate à doença precisa ser examinada, ampliando assim a vida útil comercial das bananeiras existentes."

Na década de 1960, foi o subgrupo Cavendish – "mantido como espécie interessante nos jardins botânicos no Reino Unido e na Companhia United Fruit em Honduras" – que substituiu o condenado Gros Michel. Agora, uma variedade substituta é necessária para substituir a Cavendish, se o TR4 continuar a se espalhar.

"A atual epidemia de TR4 e a atenção global inerente devem servir como alerta para essas mudanças estratégicas tão necessárias", concluem os pesquisadores da Universidade de Wageningen.

Autor: Eva Wutke (ca) – Edição: Augusto Valente

A FAVOR DA REFORMA

Empresário diz que Justiça do Trabalho só penalizava os patrões e chama a CLT de ‘excrescência jurídica’

DA REGIÃO DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Do assassinato do pai ao sucesso na política, prefeito conta trajetória de superação no Interview

'AULÃO SOLIDÁRIO'

VÍDEO: Ordem DeMolay de Cajazeiras promove aulão gratuito preparatório para o ENEM; veja como participar

ENTRETENIMENTO

Maria Calado na TV com os integrantes do espetáculo “Trinca mas não quebra” e o cantor Lucas Soares