header top bar

section content

Cia.Docas tem 40 milhões em dividas

A empresa que administra o Porto de Cabedelo está em crise

Por

19/03/2009 às 23h15

Não será uma missão facíl para o empresário sãojoanense, Wagner Breckenfeld. O balanço da Companhia Docas da Paraíba, empresa administradora do Porto de Cabedelo, apresenta um rombo que ultrapassa a casa dos R$ 40 milhões. Dentro desse valor está uma dívida trabalhista com 70 servidores portuários, que monta em aproximadamente R$ 31 milhões.

Fundada em 1997, ainda no governo Maranhão I, a Companhia Docas começou a dar prejuízo já no segundo governo José Maranhão, quando em 2001 a dívida ultrapassou a R$ 300 mil, conforme parecer assinado por Eudes Moacir Toscano, Marco Antônio Gouveia de Moraes e Gilvandro de Almeida F. Guedes, todos membros do Conselho Fiscal.

Em 2008, de acordo com o balancete publicado na edição da última terça-feira, 17, do jornal A União, órgão oficial do Estado; os prejuízos somam R$ 5.502,036,47, herança devolvida pelo então governador ao atual, José Maranhão.

A Companhia Docas da Paraíba mantém registro contábil no realizável a longo prazo de bens transferidos por terceiros no valor de R$ 2.728.521,87, conforme convênio 64/91 Codern/União, sem movimentação contábil no período, além de não existirem controles internos específicos que possam determinar a validade de sua mensuração contábil.

Já em relação as dívidas trabalhistas, o balanço da Companhia Docas, empresa de economia mista; diz que “encontram-se registrada as provisões com contingências trabalhistas e recursos fornecidos pelo governo do Estado para o futuro aumento de Capital”.

“Registra-se a existência de ação trabalhista movida pelo Sindicato dos Operadores nos Serviços Portuários em razão de adicional de riscos laboral que monta em aproximadamente R$ 31.000.831,30, posição de 31 de outubro de 2008”.

A ação dos portuários foi ajuizada em 1991, anterior a constituição da Companhia Docas, existindo a discussão quando a responsabilidade de pagar, se a União, Estado da Paraíba ou a Docas-PB. O provisão do valor a dívida provocaria uma redução no patrimônio líquido do valor correspondente.

Esperança
Wagner que assumiu a Companhia Docas da Paraíba, acredita que com determinação e planejamento, mesmo na situação em que encontrou as finanças da companhia, acredita que dará uma nova dinâmica no funcionamento do Porto de Cabedelo, que é um dos que têm o menor calado do país, mais segundo ele buscará recursos junto aos deputados e senadores para a ampliação da dragagem e do calado do Porto.

JOSELITO FEITOSA
Da Redação do Diário do Sertão

'AULÃO SOLIDÁRIO'

VÍDEO: Ordem DeMolay de Cajazeiras promove aulão gratuito preparatório para o ENEM; veja como participar

ENTRETENIMENTO

Maria Calado na TV com os integrantes do espetáculo “Trinca mas não quebra” e o cantor Lucas Soares

ALÍVIO

VÍDEO: Presidente da OAB de Cajazeiras afirma que a Comarca de Bonito de Santa Fé não será mais fechada

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa com a participação dos membros da Igreja Rei dos Reis