header top bar

section content

Na tribuna, Raimundo Lira afirma que quadrilhas que atuam em pequenas cidades estão revivendo o cangaço

No pronunciamento, ele afirmou que as quadrilhas que hoje atuam em pequenas cidades estão promovendo “O NOVO CANGAÇO”.

Por

03/02/2016 às 14h44

Senador da Paraíba, Raimundo Lira (PMDB)

Na primeira sessão do Congresso Nacional, após o fim do recesso parlamentar, nesta terça-feira (02), o senador Raimundo Lira (PMDB-PB) ocupou a Tribuna do Senado para fazer o seu primeiro pronunciamento do ano.

O parlamentar, considerado um dos mais assíduos da Casa em 2015, foi à tribuna para falar sobre segurança pública e enfocou o crescimento da violência no Nordeste, fazendo menção ao cangaço que, no passado, amedrontou a região. No pronunciamento, ele afirmou que as quadrilhas que hoje atuam em pequenas cidades estão promovendo “O NOVO CANGAÇO”.

Lira disse que o cangaço, extinto no país em 1938, está de volta. Segundo ele, a prática é retomada pelas quadrilhas que estão assaltando as pequenas cidades brasileiras, especialmente no Nordeste.

Ele contou que essas quadrilhas são organizadas, se apresentam sempre bem armadas e atuam com excessivo grau de perversidade, humilhando as populações e fazendo-as perder a confiança nas instituições.

Ataque aos bancos – Segundo Raimundo Lira, essas quadrilhas estão fazendo alguns pequenos municípios perderem o conforto de ter uma agência bancária, pois muitos bancários já não querem trabalhar nestas cidades por causa da violência. “As populações estão perdendo, de forma definitiva, a sua crença no Brasil, nas instituições democráticas, nas Polícias Estaduais e Federal e nas Forças Aramadas”.

Estão usando explosivos, controlados pelas Forças Armadas, para explodir bancos e aterrorizar populações. “Mais de mil agências bancárias já foram explodidas em todo o território nacional, transformando “O NOVO CANGAÇO” na mais avassaladora força do mal da modernidade brasileira”.

Para Raimundo Lira, é obrigação do estado brasileiro, Estados e União, proteger os municípios, evitando que o seu esvaziamento venha a inchar ainda mais as já problemáticas grandes cidades.

Lira destacou que as quadrilhas também estão arregimentando honestos trabalhadores rurais e transformando-os em bandidos, com a oferta de poder ilimitado e ganhos excepcionais. Ele também lembrou que as agências destruídas, geralmente, estão seguradas. Porém, quem paga o valor do seguro são os próprios clientes, pois o alto custo do seguro é incorporado ao valor das tarifas bancárias.

No ano passado, Raimundo Lira fez pronunciamentos lamentando o crescimento da violência no País. Ele também apresentou projetos propondo ações efetivas de combate à violência, visando garantir mais segurança e paz à sociedade.

Assessoria de Imprensa

Tags:
OUTRO LADO

Secretário de saúde diz que verbas federais serão mantidas e que o SAMU de Cajazeiras não vai fechar

PRECONCEITO

EM CAJAZEIRAS: Gari revela que as pessoas negam água e restaurantes proíbem entrada para comprar marmita

ABANDONADO

VÍDEO: Após saber da morte da mãe, homem passa fome nas ruas de Cajazeiras e faz apelo emocionante para voltar pra casa

PSICOLOGIA NO AR

PERIGO: Médico neurologista faz importante alerta para quem usa remédios tarja preta para dormir