header top bar

section content

Unidades de saúde realizam mais um Dia de Faxina contra o mosquito Aedes aegypti

A equipe elaborou um cronograma de limpeza, mobilizando os servidores para continuar garantindo a qualidade e a eficiência.

Por

13/01/2016 às 17h43

O mosquito causador da doença se reproduz em água limpa e suja.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) promoveu mais um Dia de Faxina nas unidades de saúde, com o objetivo de envolver todos os servidores no combate ao mosquito Aedes aegypti, que transmite o vírus da dengue, chikungunya e zika. A ação ocorreu nesta quarta-feira (13), na sede da SES, à tarde; no Hemocentro e Hospital Arlinda Marques, pela manhã; e no Hospital Clementino Fraga, o dia todo.

No Hemocentro da Paraíba, o quarto Dia da Faxina foi realizado pela equipe de higienização e manutenção que vistoriou o prédio à procura de possíveis criadouros, observando as correções realizadas após as vistorias anteriores. A equipe elaborou um cronograma de limpeza, mobilizando os servidores para continuar garantindo a qualidade e a eficiência com a questão da prevenção dos focos do mosquito.

No Complexo Hospitalar Clementino Fraga, a faxina foi feita em todas as áreas da unidade, a exemplo de estacionamento, áreas de lazer e externa e no entorno. À tarde, foram realizadas palestras educativas, com distribuição de material informativo contendo as formas de prevenção da doença e eliminação dos criadouros do mosquito.

“Esperamos que os colaboradores do hospital coloquem em prática essas ações de prevenção em seus domicílios e na sua comunidade, uma vez que as ações de eliminação dos criadouros tem importância muito grande para evitar a proliferação do mosquito”, disse a diretora geral do Clementino, Adriana Teixeira.

No Arlinda Marques, uma equipe composta por funcionários dos setores de Higienização, Manutenção e Enfermagem distribuiu material educativo com os funcionários e familiares dos pacientes. Também foi realizado o trabalho de limpeza e a localização e destruição de possíveis locais que possam se tornar criadouros do mosquito.

“Esse é um trabalho que estamos fazendo de forma permanente e, com isso, dando a nossa parcela de contribuição para ajudar a combater as doenças causadas pelo Aedes aegypti, mas é preciso que a população também faça a sua parte, cuidando da sua casa e da sua rua e assim evitar a reprodução e propagação do mosquito”, afirmou o diretor geral do Arlinda, Bruno Leandro de Souza.

Na sede da Secretaria, a faxina foi realizada por gestores e servidores de diversos setores, no estacionamento, onde encontraram sacolas plásticas em vários pontos e ainda foi colocada larvicida em caixas contendo água. A técnica Cristiani Moura, da Gerência Operacional de Resposta Rápida, participou da ação e comentou: ‘É muito interessante porque cria o hábito de investigar o nosso ambiente de trabalho, pois até um simples saco de pipoca jogado num canto despercebido é o suficiente para virar um criadouro do mosquito e está instalado o problema”.

“As faxinas são uma forma de chamar todas as instituições públicas do estado, de diversos segmentos, para participarem desta luta que é de responsabilidade de todo mundo”, lembrou a gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES, Renata Nóbrega, que esteve à frente da operação na sede da Secretaria.

Da Secom

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan